Fulô nega irregularidades em licitação e diz que matéria do TCE é...
Fullbanner1


Macropel

Fulô nega irregularidades em licitação e diz que matéria do TCE é maldosa

Fonte: Thiago Mattar
SHARE
Fulô é investigado no TCE por fraude em licitação. Foto: Arquivo/Ailton Lima.

Com prazo até esta sexta-feira (10) para protocolar sua defesa junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), o ex-presidente da Câmara de Rondonópolis, Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô, se defendeu das acusações de fraude ao site Notícias de Mato Grosso.

As acusações do TCE possuem como base uma auditoria que constatou o aumento de 800% entre o valor licitado e o valor pago efetivamente pela Câmara de Rondonópolis a uma empresa de locação e manutenção de software. O conselheiro do TCE, Isaías Lopes, apontou “fortes indícios de fraude à licitação entre as licitantes. Além disso, o pagamento feito pela Câmara Municipal de Rondonópolis, que deveria ser de R$ 100.050,00, chegou a R$ 900.000,00”, comentou em matéria publicada no site do Tribunal.

Pelas suspeitas de fraude também relacionadas ao direcionamento de licitação em favorecimento a empresa contratada, o TCE multou Fulô (12 UPFs); o chefe do setor de Tecnologia da Informação, Antônio Gabriel da Silva Filippozzi (12 UPFs); o secretário-executivo de Administração, Milton Gomes da Costa; a chefe da Seção de Apoio a Gestão de Processos Licitatórios, Daniela Bessi da Costa (12 UPFs); a presidente da Comissão Permanente de Licitação, Ana Paula de Oliveira Minelli (6 UPFs), e o procurador-geral Legislativo, Orlando Alves de Oliveira (6 UPFs).

Em visita a Câmara de Rondonópolis nesta quarta-feira (8), Fulô falou com a reportagem do site Notícias de Mato Grosso.

“Foi um equívoco em relação a soma dos contratos, eu nunca tive um contrato nesse valor de R$ 900 mil; foram contratos para três meses, de cento e trinta e poucos mil reais; só que eles juntaram tudo, de 2014 a 2016, fizeram uma soma e colocaram lá R$ 900 mil”, disse. “Eu devo protocolar a defesa até sexta-feira e, quando for para o pleno, vou estar lá para me defender pessoalmente, até porque, se tem alguém que sempre prezou pela moralidade, sou eu”, completou.

Segundo Fulô, a matéria publicada no site do TCE-MT em 16 de outubro é maldosa.

“Colocaram lá que a operação envolvia o Senado Federal, a Polícia Federal… a Câmara não administra recursos federais! Tanto que essas acusações foram retiradas da matéria original. Colocaram lá essas coisas e alguém espalhou maldosamente, aqui em Rondonópolis, que eu estava ‘na mira’ da Polícia Federal”.

Montreal