Foto da Cachoeira do Prata mostra lixo deixado pelos turistas
Fullbanner1

Fullbanner2

Triburbana

Foto da Cachoeira do Prata mostra lixo deixado pelos turistas

Fonte: Thiago Mattar
SHARE
Foto: internet

Uma foto da Cachoeira do Prata, em Juscimeira, vem chamando a atenção nas redes sociais. Não pela sua beleza natural, mas pela quantidade de lixo acumulado no local. Nas proximidades do principal ponto turístico da cidade é possível encontrar latas e garrafas de refrigerante, cerveja, isopor, sobras de churrasco e sacos de lixo.

Para o diretor do grupo de educação ambiental Teoria Verde, Jean Peliciari, que realiza ações de limpeza e educação ambiental em diversas cidades da região, a conscientização da população e o esforço das autoridades é urgente. “Em maio deste ano, fizemos uma ação de limpeza na região e recolhemos aproximadamente 700 quilos de lixo, o pior foi quando descobrimos que no mês anterior a prefeitura já havia realizado um mutirão de limpeza; ou seja, foram acumulados 700 quilos nas proximidades em apenas um mês. É ridículo!”.

Para Jean, o que falta é educação por parte das pessoas. “Não dá para esperar que os governantes preservem o principal ponto turístico da sua cidade, a comunidade precisa dar cada vez mais atenção ali ou vai perder esse ponto, que vai ficando cada vez mais degradado”.

Procurado pela reportagem, o prefeito Moisés da Farmácia (PSDB) comentou que a região onde está a cachoeira pertence atualmente ao Incra e fica próxima a um assentamento onde vivem dezenas de famílias. “E o problema ali não são essas famílias assentadas; elas até nos ajudam a recolher e juntar o lixo todas as semanas. O problema ali são os turistas que visitam o local e não recolhem o lixo que produzem”, disse o prefeito.

Ainda de acordo com o prefeito, dois mutirões foram realizados desde o começo de sua gestão e uma vez por semana a Prefeitura de Juscimeira envia equipes que recolhem o lixo. Segundo Moisés, a foto que circula nas redes teria sido feita antes da limpeza semanal. “Aquele lixo já foi retirado, mas como a área é particular, isso impede que o município realize ações mais fortes. Hoje ela pertence ao Incra, não temos legitimidade para fazer investimentos de infraestrutura turística no local. Estamos trabalhando para conseguir essa área, para que o Incra faça o comodato com o município”, concluiu.

Montreal