Força máxima, possível vaga e alívio: o que vale o clássico para...
Supermoveis



Força máxima, possível vaga e alívio: o que vale o clássico para o Palmeiras

Fonte: Rodrigo Faber
SHARE

Vencer o Santos na Vila Belmiro, neste domingo, às 18h30 (horário de Brasília), afetará diretamente o planejamento do Palmeiras nas próximas semanas. Caso supere o rival da Baixada e encerre o jejum de quase seis anos sem conquistar três pontos no estádio alvinegro, o Verdão ganhará alívio para um mês que promete ser movimentado.

+ Veja a tabela do Campeonato Paulista+ Lembre a última vitória do Verdão na Vila

Como a vitória na Vila Belmiro garante a vaga na fase eliminatória do Campeonato Paulista, o Palmeiras pode ter a chance de utilizar mais os jogadores que ganharam poucas oportunidades até aqui nesta temporada. Os atacantes Erik e Rafael Marques, por exemplo, não fizeram nenhum jogo oficial neste ano.

Em abril, o Palmeiras terá dois jogos pela Libertadores (contra o Peñarol – na arena, dia 12, e em Montevidéu, no dia 26), além do mata-mata no Campeonato Paulista. As quartas de final serão jogadas nos dias 2 e 9 e as semifinais, caso avance, nos dias 16 e 23.

Embora pretenda repetir neste domingo o time que venceu o Jorge Wilstermann na última quarta-feira, na arena, Eduardo Baptista afasta o conceito de “formação ideal”. Quer que o Palmeiras trabalhe estratégia, com alterações em determinados setores de acordo com a necessidade que o adversário impuser.

– Não posso falar que o time da Libertadores é o ideal. Buscamos observar todos e deixá-los cientes de que, em melhor momento ou estratégia, vão atuar. Não vamos mexer quatro, cinco peças por jogo, temos uma espinha dorsal que mantemos para ter equilíbrio. Mas nunca teremos equipe ideal, é escalação com quem está em melhor momento ou por estratégia – explicou.

A disputa entre Michel Bastos e Keno no meio-campo é um bom exemplo disso. Contra o Atlético Tucumán, na Argentina, ambos começaram a partida. Diante do Jorge Wilstermann, apenas Michel Bastos, com o retorno de Alejandro Guerra à equipe. Tudo devidamente estudado pela comissão técnica e pelo departamento de análise de desempenho.

A ideia de Eduardo Baptista é evitar que o Palmeiras recue na Vila Belmiro. O técnico acredita que, quanto mais o Peixe se aproximar da área alviverde, maior a chance de uma derrota para sua equipe. Por isso, apenas Felipe Melo deve atuar mais recuado, com a tradicional linha de quatro atletas no campo ofensivo.