Fogão a lenha
Supermoveis


Macropel

Fogão a lenha

Fonte:
SHARE
Foto: Arquivo Pessoal

Algum tempo parei de falar sobre a política em meus textos, porém a atual condição do nosso país envolvendo todas as esferas da União estão sofrendo os impactos de uma corrupção que emana desde a colonização de nosso país, quem está sofrendo com tudo isso somos todos nós que dia e noite trabalha para pagar os altos impostos e somos vítimas de abusos com o retorno de serviços precários. Do que adianta os últimos quinze anos o governo ter oportunizado a população mais carente a aquisição da sua moto, carro, casa, egresso nas faculdades antes frequentadas apenas pelas pessoas de grandes condições financeiras se hoje estas mesmas pessoas carentes que possuem todos os itens mencionados estão endividadas com parcelas a perder de vista com juros absurdos, não foi por acaso que o governo atual liberou o saque do FGTS para os contribuintes, e sim para ajudar com o fundo a sanar as grandes dividas que o povo brasileiro mergulhou nestes anos. Percebemos um reflexo das mas condições administrativas desde a União até chegar em nosso município, a diferença social que com certos benefícios concedidos a população de baixa renda fez com que ainda mais crescesse essa diferença achando que com isso ajudaria aos mais pobres, quando na verdade o que a população necessita e de educação e oportunidade digna de trabalho e capacitação, não de incentivos que fazem com que muitas famílias se acomodem com ajuda financeira e até estimula a ter mais filhos pra sobreviver desse auxilio. O correto do Bolsa Família seria de conceder ajuda material como gás de cozinha em pontos cadastrados, cestas básicas, material escolar, e não dar o dinheiro em mãos. A indignação de morar em um dos estados mais ricos e abundantes do nosso país, aquele que é gerador de alimentos para o mundo, porem o estado está economicamente falido, sem condições de investimento na saúde do estado, na segurança, e nas demais áreas, o nosso município que atende vinte e uma cidades em seu redor não ter condições adequadas na área de saúde e infraestrutura para atender a demanda necessária. Estou de perto acompanhando o trabalho da atual gestão pra poder sanar e intervir em todos os cantos porem os problemas são muito maiores, não por causa de agora ou da gestão passada e sim de anos, nossa cidade precisa de um planejamento pra cinco, dez e vinte anos, pois Rondonópolis cresce em proporções absurdas, somos um polo gerador de renda e emprego e por isso precisamos nos preparar em todas as esferas. Um exemplo esdruxulo e indignante é nosso gás de cozinha que foi eleito o mais caro do Brasil e o pior é que ainda vai subir mais. Temos visto muitas personalidades indo embora de nosso país devido as péssimas condições de moradia, a indignação dos doze meses do ano termos que pagar quatro somente em impostos. Andar em rodovias as quais pagamos pedágios e não temos pistas duplas, chuvas que fazem com que as grandes fortalezas dos muros das penitenciarias virem abaixo, onde o comerciante tem suas vitrines regadas a grades, e os políticos que deveriam cumprir suas penas junto aos marginais, estão cumprindo em seus luxuosos apartamentos. A dica que dou para nós é voltarmos as origens de nossos ancestrais e construir fogões a lenha, criar nossos porcos no fundo de nossas casas, e plantar nossas hortaliças, e quiçá adaptar as charretes para não pagarmos os quatro reais no litro da gasolina.

José Olavo Pio: É Eng. Civil, Prof. Universitário, Empresário, Servidor Público e Escritor loca.

Montreal