FIT discute pescaria esportiva como mola propulsora do turismo em MT
Supermoveis



FIT discute pescaria esportiva como mola propulsora do turismo em MT

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

Mato Grosso é considerado como um dos principais destinos para a pesca esportiva. Por conta desta importância, o tema ganhou destaque na Feira Internacional de Turismo no Pantanal (FIT 2017). A Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe) participou dos debates e todas as demandas elencadas na exposição foram repassadas às autoridades competentes. 

O secretário-adjunto de Turismo, Luis Carlos Nigro, destacou que o Estado de Mato Grosso tem grande interesse de fomentar a pesca esportiva no Pantanal. Segundo ele, o estado já é um dos principais locais de turismo de pesca, recebendo cerca de 30% dos turistas brasileiros que buscam essa prática. No entanto, ressalta que deve acontecer de acordo com prática sustentável, que é tão discutida nesta edição da FIT Pantanal. 

Um dos palestrantes, Marcos Gluek, afirmou que, apesar de não se conhecer os números, com certeza a pesca esportiva é um dos maiores vetores do turismo no estado haja vista os valores dos pacotes e tudo mais que vem agregado. “Precisa ter um barco, um transporte até o local, entre outras coisas e tudo isso gera impacto na economia”, disse. 

Para ele, também é possível crescer a pesca esportiva entre o público feminino. Nos Estados Unidos elas representam 27% do total de esportistas, enquanto no Brasil esse número chega à elas a 7%. “Só o crescimento no gênero já significa muita coisa”, comentou. 

O presidente da Anepe em Mato Grosso, Kelven Lopes, destacou que o estado pode crescer ainda mais. Apresentou dados que mostram uma crescente no número de pessoas que praticam a pesca. Kelven mostrou dados do Governo Federal que mostram que país tem 9 milhões de pescadores habituais. Desses, 443 mil são pescadores amador licenciados e 80% praticam a pesca embarcada. 

Os dados apresentados mostram ainda que o Brasil tem perdido muito para outros países das Américas. Enquanto o Brasil movimenta cerca de R$ 3 bilhões, por ano, com a pesca esportiva. Os Estados Unidos, por exemplo, registra algo em torno de 44 bilhões de dólares, ou seja, mais de R$ 130 bilhões. Além disso, estima-se que brasileiros gastaram R$ 280 milhões na pesca do dourado na Argentina.