Filho de garçonete de 5 anos é estuprado por cliente em bar
Fullbanner1



Filho de garçonete de 5 anos é estuprado por cliente em bar

Fonte: G1
SHARE
Mauro Agueiro Benites, de 46 anos, negou ter abusado da criança (Foto: Polícia Militar de MT)

Um menino de 5 anos foi estuprado por um cliente de um bar nos fundos do estabelecimento, na noite desse domingo (25) em Bom Jesus do Araguaia, a 983 km Cuiabá.

De acordo com a Polícia Militar, a denúncia partiu de uma pessoa que procurava pelo suspeito no bar e o encontrou nos fundos do local abusando da criança.

O menino é filho da garçonete do bar, que tinha se ausentado para trocar notas de dinheiro e deixou o garoto sozinho no estabelecimento.

O suspeito foi identificado como Mauro Agueiro Benites, de 46 anos, conhecido pelo apelido de ‘Índio’. Ele disse à Polícia Civil que estava com a criança, mas negou ter cometido qualquer abuso sexual. Ele trabalha como pedreiro na cidade.

Segundo a PM, a testemunha disse que foi até o bar, às 20h, para chamar o suspeito para jantar na casa dele.

Essa pessoa afirmou aos policiais que viu o homem com a calça abaixada e que a criança era forçada a fazer sexo oral nele.

“A pessoa que comunicou o crime é conhecida dele [do suspeito]. Ela foi até esse bar para chamá-lo para ir na casa dele e chegando ao local viu essa cena do homem com a calça abaixada”, disse ao G1o delegado Deuel Paixão de Santana.

A testemunha foi para casa e depois decidiu registrar a denúncia contra o suspeito.

“A mãe da criança é garçonete do bar. Como não tinha ninguém [para cuidar], ela levou o menino para o bar. Ela [a mãe] precisou sair para trocar um dinheiro e a criança ficou sozinha. O menino confirmou o abuso”, afirmou o delegado.

Outros clientes estavam no bar, mas ninguém viu o abuso, já que o suspeito levou o menino para os fundos do bar. O Conselho Tutelar foi chamado e conversou com a criança. Os conselheiros também vão acompanhar o caso e dar assistência à família da vítima.

“Fizemos a autuação por estupro de vulnerável e ato libidinoso. Ele [o suspeito] nega, mas tudo está bem demonstrado. A criança confirma o ato e a testemunha viu tudo. É revoltante”, concluiu o delegado.

A mãe do menino trabalha no local há três meses e também foi ouvida na delegacia. O suspeito deve ser encaminhado nesta segunda-feira (26) para a Penitenciária Major Zuzi Alves da Silva, em Água Boa, a 736 km de Cuiabá.