Figueiredo critica reforma da Previdência; Pestana defende necessidade de ajuste fiscal
Adventista



Figueiredo critica reforma da Previdência; Pestana defende necessidade de ajuste fiscal

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Agência Câmara
SHARE

O deputado André Figueiredo (PDT-CE) disse que o gatilho que aumentará a idade mínima de aposentadoria fará com que pessoas mais jovens não entrem no piso de 62 anos para a mulher e de 65 para o homem.

Ou seja, a idade deverá ser maior, entre 66 e 70 anos daqui a 49 anos, segundo ele. É que a reforma determina a elevação da idade mínima toda vez que o IBGE constatar um aumento de um ano na expectativa de sobrevida após os 65 anos.

Figueiredo também reclamou da dupla redução do valor das aposentadorias com a necessidade de ter 40 anos para ter 100% da média salarial na aposentadoria; e com o cálculo desta média por todos os salários do trabalhador desde julho de 1994. Segundo ele, a eliminação da regra de coleta dos 80% maiores salários vai reduzir o benefício entre 14,2% e 19%.

Ajuste fiscal
O deputado Marcos Pestana (PSDB-MG) disse que não acredita que algum deputado da oposição defenda que uma reforma da Previdência não é necessária. “Não dá para brigar com fatos e números. Qualquer um pode estar no poder amanhã e terá que lidar com isso”. Pestana lembrou que o governo atual não vai usufruir dos efeitos positivos de uma eventual reforma.

O deputado disse que existe deficit nas contas federais em qualquer conceito que se queira utilizar. “Estamos nos endividando ao ritmo de 10% do PIB ao ano e a única forma de reduzir a dívida é com ajuste fiscal”. Se nada for feito, segundo Pestana, em dez anos os gastos previdenciários vão passar de 54% do orçamento para 82%.

A reunião da comissão especial da reforma da Previdência ocorre no plenário 2.

Mais informações a seguir

Assista também pelo canal da Câmara dos Deputados no YouTube