Fávaro se afasta da Sema em setembro para campanha e pretende deixar...
Fullbanner1

Fullbanner2


Fávaro se afasta da Sema em setembro para campanha e pretende deixar pasta após solucionar licenças

0
Fonte:
SHARE
Foto:Internet.

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) anunciou que vai tirar férias do comando da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) em setembro para se dedicar à campanha eleitoral no interior do Estado. Ele vai apoiar os 55 candidatos a prefeito do PSD, os 31 candidatos a vice-prefeito do partido, e os aliados do governo Pedro Taques (PSDB) nos municípios onde sua sigla não participa da chapa majoritária. O PSD tem também 650 candidatos a vereador em Mato Grosso.

“Depois das 18h e aos fins de semana já estou em total dedicação aos nossos candidatos. Na reta final, eu tenho férias acumuladas e vencidas como vice-governador e secretário, e vou tirar 15 ou 20 dias para ficar 100% dedicado à campanha nos municípios mato-grossenses”, informou Fávaro, em entrevista à Rádio Capital, nesta segunda-feira (22). “Onde não tiver candidato, estaremos apoiando a base aliada do governador Pedro Taques para trabalhar a consolidação da base, que tem 14 partidos”, explicou.

Em Cuiabá, Fávaro vai apoiar a campanha de Wilson Santos (PSDB), que assumiu a missão de substituir a candidatura no lugar do prefeito Mauro Mendes (PSB), quando ele desistiu da reeleição. O vice adotou o mesmo discurso de Pedro Taques, de evitar que o grupo político ligado ao ex-governador Silval Barbosa (PMDB) assuma a prefeitura.

“Compreendemos a decisão pessoal do prefeito Mauro Mendes em desistir. Wilson atendeu a um chamamento do grupo e não podemos deixá-lo caminhando sozinho nas ruas de Cuiabá. Não queremos que a capital passe o que o estado passou. Precisamos trabalhar unidos e fazer de Wilson Santos um grande prefeito”, disse.

Saída da Sema

O vice-governador pretende, também, em breve, deixar a Sema de forma definitiva. Carlos Fávaro está interinamente no comando da Sema desde março, quando a promotora de Justiça Ana Luíza Ávila Peterlini deixou a pasta por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que proibiu membros do Ministério Público de ocupar cargos no Poder Executivo.

“Meu compromisso com o governador, e dele comigo, é de não ser secretário de Estado. Estou cumprindo uma missão por um período em função da decisão judicial que tirou os membros do MP dos cargos do Executivo. Pessoalmente eu discordo, mas decisão se cumpre. Estou fazendo uma transição na Sema”, disse.

Fávaro aguarda um maior avanço no trabalho da Consultoria Falconi Associados, que está modernizando o sistema de licenciamento ambiental, antes de deixar a pasta em definitivo. A consultoria vai até novembro. “Muito em breve, eu deixo à disposição do governador a escolha de um secretário que vai tocar o restante do mandato. Já disse para ele que estava bastante alinhado com os adjuntos e com a equipe, e estaria à disposição. E ele me pediu alguns dias para terminar esse trabalho e, se estiver caminhando para o concluso, ele vai escolher outro nome”, explicou.

Uma das metas principais a partir do primeiro diagnóstico realizado é reduzir em 34% o tempo de resposta da Sema. “As portas têm que estar sempre abertas para o cidadão entrar na legalidade. O cidadão não pode ter dificuldade de obter licenciamento. Precisamos dar agilidade no licenciamento e, se o cidadão insistir no crime ambiental, aí sim, ser muito rigorosos e combativos, porque o mundo não aceita mais crime ambiental”, afirmou.

Fonte:OlharDireto.

Montreal