Fávaro ataca Selma e diz que “lei também é para ex-juízes”
Adventista



Fávaro ataca Selma e diz que “lei também é para ex-juízes”

Fonte: Da Redação com FolhaMax
SHARE
Foto - Ednilson Aguiar - O Livre

O presidente estadual do PSD em Mato Grosso, Carlos Fávaro, voltou a afirmar, em entrevista à rádio Jovem Pan nesta sexta (09), que não quer ganhar o cargo de Senador no “tapetão”, mas também não admite perder por atos de “ilegalidades” dos adversários. “Não farei desta ação judicial uma paranoia de vida e o intuito nunca foi buscar resultados a qualquer custo”. O social-democrata, inclusive, fez menção ao ex-cargo pública da eleita, Selma Arruda (PSL), para pontuar que ela não está imune a ser punida caso tenha errado. “A lei é para todos os brasileiros e deve ser cumprida por mim, por você, por juízes e ex-juízes”, afirmou, ao entrevistador.

Fávaro ingressou no último dia 30 com ação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra a senadora eleita e ex-juíza, Selma Arruda (PSL), por supostos crimes de caixa 2, abuso de poder e propaganda eleitoral antecipada. Para Fávaro, estas eleições demonstraram que o Brasil mudou e o que as pessoas querem é um país mais correto, com regras e leis sendo cumpridas por todos. “Não criei fatos para que essa ação acontecesse, não produzi nenhuma prova, o que fiz foi levar à Justiça dados e fatos de uma ação monitória de cobrança que demonstram claramente o uso de caixa 2 na campanha. A Justiça é quem tomará providências”, destacou.

O presidente do PSD destacou ainda que seguirá na vida pública, trabalhando politicamente   à frente do PSD. “Hoje eu tenho um respaldo político, votos que me permitem interagir com a sociedade mesmo sem mandato, a trabalhar em prol de Mato Grosso, junto com o futuro governador Mauro Mendes, que eu confio e sei que fará um grande mandato. Agora vou tocar minha vida, meus negócios particulares, o PSD, e trabalhar muito para respeitar todos os eleitores e trazer resultados a eles, até porque não se sabe quando sairá ou qual será o resultado desta ação. Mas os mato-grossenses merecem ter um candidato que cumpriu as regras e que os represente como senador”, ressaltou.

A ação movida contra Selma Arruda visa apurar as irregularidades que vieram à tona após o processo judicial movido pelo empresário e publicitário, Luiz Gonzaga Rodrigues, conhecido como Júnior Brasa, da Genius Publicidade, contra Selma, por não ter quitado valores referentes a um contrato de prestação de serviços na pré-campanha eleitoral. A dívida soma R$ 1,1 milhão, segundo o publicitário.