Exército participa do combate ao mosquito em mobilização de Primavera
Fullbanner1

Fullbanner2


Exército participa do combate ao mosquito em mobilização de Primavera

0
Fonte:
SHARE
Foto: Assessoria

Oportunizando a mobilização nacional contra o Aedes aegypti que aconteceu no último sábado (13) em 353 municípios do país, a prefeitura de Primavera do Leste, por meio da Secretaria de Saúde, convidou o 18º Grupo de Artilharia de Campanha do Exército da cidade de Rondonópolis que, juntamente com um destacamento da Polícia militar, para dar apoio aos voluntários em mais um mutirão de combate ao transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus pelos bairros da cidade detectando e exterminando possíveis criadouros do mosquito.

Os voluntários foram divididos em grupos, entre eles integrantes das Forças Armadas, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Cruz Vermelha, Fiscalização da Prefeitura, Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Obras, Conselho Municipal de Saúde, Secretaria de Fazenda, Secretaria da Saúde, Defesa Civil entre outros.

Segundo Bárbara Pelissari, coordenadora da Vigilância Ambiental do município, os grupos foram divididos em: onze no centro junto com o  Exército; 10 grupos  espalhados  no resto  da  cidade de  acordo  com as  unidades  de  saúde; 1 grupo  especial para  tratar  locais  de  maior  risco, borracharias, ferro  velho, construções abandonadas,   que  os  agentes  de  edemias  não  conseguiram chegar; 1  grupo  tratando os  bueiros que ofereciam  risco no centro da  cidade, bairro  Eldorado e bairro Centro Leste  com cloro 100%;  1  grupo no bairro Poncho Verde borrifando veneno, além da equipe da Secretária de  Obras com apoio ao mutirão  mobilizado  pela  comunidade do bairro Jardim Riva.

Impacto

De acordo com o secretário de Saúde, Fabio Lago,“Muitos focos foram eliminados, conseguimos entrar  em diversos  imóveis  que  não  tivemos acesso  durante   a semana, visitamos cerca de  4 mil imóveis em  um dia, durante a ação foram eliminados  mais  de  mil focos do  mosquito”, garantindo que os trabalhos  continuam. “Toda equipe de  agentes da  Secretaria  de  Saúde dará  continuidade a ação  durante a semana. Nos  imóveis que os técnicos  tiverem dificuldade para entrar e  vistoriar, será solicitada  ajuda a Policia Militar”, declarou.

Já Anízio Tavares da Costa Junior presidente da Cruz Vermelha e coordenador  das  ações  da  Defesa  Civil Municipal, destacou o impacto do  trabalho para  conscientização da população, “ foi  um trabalho de impacto, e  desde  sábado começamos  uma  nova etapa  do  combate, e  a  presença  do  exercito fez  com que população entendesse  a  gravidade da  situação em nosso município”

“A Defesa Civil do Município participou visitando casos específicos e  locais que  já  apresentaram  incidência  de  criadouros  em  outros  momentos, além de  serem  locais  onde  os agentes  de  endemias não  conseguiam  entrar, encontramos muitos  focos e  eliminamos além de orientar  os proprietários, e  outros foram  notificados para no prazo de sete dias exterminarem  os focos e  promover  a limpeza  total de terrenos e  estabelecimentos” destacou o presidente.

Toda  frota  da  Secretaria  de  Infraestrutura  foi utilizada para  promover  o trabalho de limpeza, que  continua  durante a semana. O secretário de  Infraestrutura e vice-prefeito Eraldo Fortes, falou sobre a conscientização da  população quanto ao descarte  de entulhos  nos Eco Pontos. “ Atualmente  temos  mais  40 containers, distribuídos em toda cidade, por  isso pedimos a  população, que  mesmo quando estes  estiverem cheios, que coloquem os entulhos ao lado do Container para  facilitar  o  trabalho da equipe de  coleta”, disse Fortes lembrando que  são recolhidos cerca  de 150 caçambas de entulho em todos Eco Pontos da cidade por semana.

Dengue, zika e chikungunya

Só este ano, até o dia 23 de janeiro, foram notificados 73.872 casos de dengue no país. No mesmo período no ano passado, foram 49.857 casos, aumento de 48%. A situação é ainda mais preocupante quando se leva em conta que 2015 já foi recordista em casos de dengue: 1,6 milhão de casos no ano todo, maior número desde que começaram os registros, em 1990.

O vírus da zika, que passou a ter transmissão local no Brasil em abril de 2015, já existe em 22 unidades da federação. A preocupação maior, no caso desse vírus, é a associação provável com o aumento de casos de microcefalia no país. Segundo boletim divulgado nesta sexta-feira, já existem 5.079 notificações de suspeita de microcefalia no país.

Já a febre chikungunya, que também chegou recentemente ao país, já teve casos em 12 unidades da federação e, em 2015, teve 20.662 casos notificados.

Montreal