EXCLUSIVO: Médico confirma existência de “panela” prejudicando Santa Casa de Rondonópolis
Supermoveis


Macropel

EXCLUSIVO: Médico confirma existência de “panela” prejudicando Santa Casa de Rondonópolis

Fonte: Da Redação
SHARE
Fonte - Assessoria

Um médico que tentou atuar na saúde pública de Rondonópolis, nos últimos anos, resolveu falar sobre a realidade local ao observar, de longe, o caos administrativo da Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis, que teve a sua Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica recentemente fechada por falta de recursos para mantê-la.

Em contato com o NMT, o profissional falou por cerca de 20 minutos sobre tudo que viveu em solo rondonopolitano e porque não conseguiu se firmar na maior cidade do interior, migrando para a cidade de Sinop, no norte de estado. Ele resumiu que a unidade filantrópica existe basicamente para privilegiar os interesses de um restrito grupo de médicos, que, por sua vez, se fecham e usam da força desse agrupamento para impedir qualquer profissional que não seja criteriosamente trazido e indicado por um deles de ter vida longa dentro da instituição.

Usando inicialmente o termo “máfia de influência”, mas preferindo refazer sua fala e classificando todo o sistema interno apenas como “panela”, o médico disse que existem, sim, vários profissionais que utilizam da estrutura mantida e, na maior parte das vezes, construída com dinheiro público para fazer atendimentos particulares e ganhar em cima do público que ali procura socorro. Ele citou que, na época em que esteve na cidade outro profissional, além dele, e também fora do pelotão de elite, não aguentou as várias retaliações sofridas, que se estendiam também por parte do corpo de enfermeiros aliado de alguns veteranos, e também pediu para sair.

Sobre a questão das finanças da Santa Casa, maior motivo atual de toda a crise, o médico afirmou que é preciso que se faça uma análise profunda sobre o quanto ganham os médicos atuantes ali de acordo com o que se declara de período trabalhado. Ele cita que isso permitirá facilmente a constatação de irregularidades graves. “Existiam médicos que tiravam cinco plantões por semana para ganhar R$ 3 mil cada um. Isso é humanamente impossível”, declarou à reportagem.

Após solicitar que sua identidade fosse preservada, o profissional relatou que a saúde pública da cidade perde principalmente na oferta de especialistas com essa postura egoísta dos “dinossauros” da medicina local. “Existem especialidades na cidade que a pessoa busca pelo SUS uma consulta e tem de esperar meses na fila porque o sistema é refém de, no máximo, dois especialistas na cidade toda. Mas chega outro da área e simplesmente não consegue atuar porque há esse acerto entre a classe médica e os gestores administrativos para que não seja admitido ou ganhe espaço um novo profissional que não venha indicado pela própria patota ali deles. É terrível pensar que o rondonopolitano não está tendo um atendimento mais eficaz por um preciosismo desse tamanho”. finalizou, garantindo que há vários outros profissionais que passaram pela cidade nos últimos anos, com quem tem contato, e que confirmam essa realidade.

Montreal

10 COMENTÁRIOS

  1. Este médico é um cara fraco, porque não homem e profissional em denunciar oque viu e passou na época? Porque não trouxe isso a público e abria de uma vez por todas tudo que estava errado? Porque se calou sabendo que pessoas inocentes estavam sendo prejudicados por este pelotão de elite? Acredito que deve ter tentado fazer parte e não conseguiu, se é médico e faz jus ao seu juramento, volte a Rondonópolis e sabendo o que vc sabe venha mudar e fazer a diferença

  2. Esse pode ser um Profissional incompetente e despeitado que não conseguiu se equiparar aos outros fugiu com o rabinho entre as pernas e agora que está longe fica latindo no anonimato tentando denegrir uma instituição tradicional, e pior que isso seus colegas de profissão; pessoas que acusam e não tem coragem de dar a cara, e dar nome aos acusados, não merece respeito!

  3. E bom averiguar pois onde tem fumaça, tem fogo, não é de hoje que a população rondonopolitana vem sofrendo com poucos especialista em várias áreas, isso está fazendo sentido.

  4. Com certeza é um despreparado e covarde que não passou na avaliação da população de Rondonópolis. Ainda hoje a cidade anseia por bons especialistas. Mas quem chega tem que agir com humildade e trabalhar com capricho, até que alcance os melhores lugares. Esse deve ter exigido um lugar que ainda não merecia. Tudo em seu tempo.

  5. Agora não é hora de dizer quem está errado, independente de ser verdade ou não, dos motivos da denúncia ter sido feita só agora, esta denúncia no mínimo ser investigada.

    Aí deixa para saber quem falou e quem deve ser punido qdo o inquérito ser instaurado.

    Este tipo panela existe em muitas profissões e classes sociais.

  6. Sera q ele disse mentira? Realmente qualquer especialidade nessa cidade sempre a vida toda foram dois ou tres medicos ,ministerio publico fique atento quem nao deve nao treme

  7. Ele denuncio agora tem que ser investigsda pela policia federal porque tem dinheiro do governo federal e essa policia civil do estado para investiga gente poderosas deixa a deseja. Se o hospital é filantropico porque é tão caro fazer um tratamento neste hospital. Sem fala que tem muito medico dinheirista e desumano na cidade, que aproveita a falta de medico para cobrar caro e mal os pacientes, parece que esta fazendo favor para os clientes.

  8. Nossa quantas denúncias vocês tem conseguido publicar? Justo agora com essa situação da UTI pediátrica. Se essas coisas estiverem de fato acontecendo usem suas fontes para denunciar, mas com responsabilidade, porque a população não pode ser mais prejudicada.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

SHARE
Previous articlePrazo para renovação de contratos do Fies é prorrogado para 30 de novembro
Next articleOIT diz que há mais de 70 milhões de jovens desempregados no mundo