Ex-secretária é julgada em abril por desvio de R$ 500 mil em...
Fullbanner1

Fullbanner2


Ex-secretária é julgada em abril por desvio de R$ 500 mil em MT

1
Fonte:
SHARE
Foto: Internet/Arquivo

O juiz da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Popular, Luis Aparecido Bortolussi Junior, designou para o dia 12 de abril, às 14h, audiência de instrução e julgamento na qual a primeira dama de Rondonópolis, Ana Carla Muniz, é acusada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de improbidade administrativa enquanto exerceu o cargo de secretária de Estado de Educação no primeiro mandato do ex-governador Blairo Maggi (PR), atual senador da República. Conforme a ação civil pública, houve fraude em licitação na contratação da empresa BSI – Brasil Serviço de Informática, o que gerou prejuízo aos cofres públicos de R$ 488.724,23 mil.

É requerido que a quantia seja devolvida acrescida de juros e correção monetária e aplicada pena de perda da função pública, suspensão dos direitos político e proibição de contratar com o poder público ou receber incentivos fiscais ainda que por intermédio de terceiros, conforme prevê a legislação.

Esposa do prefeito de Rondonópolis e presidente do diretório estadual do PPS, Percival Muniz, a primeira dama Ana Carla Muniz ainda é ré em outra ação por improbidade administrativa já aceita pelo Judiciário. Tramita desde 2013 ação de improbidade na qual o Ministério Público acusa de simular licitação para favorecer a empresa Santa Inês Construtora e Comércio LTDA.

De acordo com o MPE, “o grupo simulou a realização de licitações na tentativa de ‘regularizar’ situação fática ilícita de obras públicas contratadas e iniciadas sem o devido processo licitatório, para favorecer as empresas Santa Inês, Uniaço, Maximus e G. Almeida”.

Fonte: Folhamax

Montreal