Ex-Flamengo, Gegê, do Bauru, se diz arrepiado com aplausos da torcida rival
Fullbanner1

Gov

Adventista

Ex-Flamengo, Gegê, do Bauru, se diz arrepiado com aplausos da torcida rival

Fonte: Gabriel Fricke e Matheus Palmieri
SHARE

Quando o plantel do Bauru estava sendo apresentado nos alto-falantes na noite desta terça-feira no ginásio do Tijuca Tênis Clube, na Zona Norte do Rio de Janeiro, as vaias ecoaram pelas arquibancadas, recheadas de torcedores do Flamengo. Mas elas pararam e, aos poucos, se converteram em aplausos para Gegê Chaia, que sempre foi querido pela torcida e atuou pelo time da Gávea na temporada 2010/2011 e, depois, de 2012 a 2016.  Após o confronto, um torcedor até veio hostilizar o jogador, mas, no geral, o que ele recebeu foi carinho. Aos 25 anos, o atleta se disse arrepiado em encarar pela primeira vez o Rubro-Negro no Rio de Janeiro vestindo as cores da equipe do interior de São Paulo.

+ Fã de Marcelinho e LeBron, Vinicius Jr. vê Fla no NBB e ganha carinho dos fãs+ Flamengo leva a virada, faz último quarto ruim e perde do Bauru em casa 

– Foi muito legal. Teve só um torcedor ali que não entendi, mas é normal… Meu sentimento com a torcida do Flamengo eu nunca escondi, é um sentimento muito grande. Hoje entrar com a camisa do Bauru e ser aplaudido é algo para mim de arrepiar. Estou arrepiado. Fico muito feliz. Mas eu sou profissional, visto as cores do Bauru e, é claro, se tiver que lutar para ver meu time sair vitorioso, vou fazer, como fiz – comentou o armador de 1,83m.

Finalistas das duas últimas edições do Novo Basquete Brasil, em 2015 e
2016, Flamengo e Bauru voltaram a se encontrar na noite desta
terça-feira em jogo válido pelo returno do campeonato nacional. O time do interior de
São Paulo levou a melhor e saiu vitorioso por 72 a 63. Diferentemente
das finais dos NBBs 7 e 8, onde o clube da Gávea levou a melhor, os
comandados de Demétrius Ferracciús superaram os atletas de José Neto. No
primeiro turno, mais precisamente no dia 5 de novembro, o Rubro-Negro
tinha vencido por 100 a 95. Apesar do revés, o histórico do confronto
ainda é positivo para o Fla. Em 33 jogos, foram 23 vitórias.

– Sem dúvidas é uma vitória importante. No primeiro quarto entramos um pouco desfocados, mas soubemos nos recuperar durante o jogo. O Demétrius falou o que tínhamos que fazer, tivemos calma e conseguimos. Acho que o time todo está de parabéns. Fizemos um segundo tempo perfeito e saímos com a vitória. Vamos descansar e esquecer porque o Macaé é mais um jogo duro – ressaltou Gegê, que, na vitória sobre o Fla, fez quatro pontos, três assistências e três roubadas de bola.

Apesar
da primeira colocação na tabela, o Flamengo não vive seu melhor momento
no NBB. Contando o revés desta terça-feira, o time chega a três derrotas
nos quatro últimos jogos. Já o Bauru, que vinha se mostrando
inconstante e tinha três quedas nos últimos cinco jogos, agora se
consolida na quarta colocação, deixando Vasco, Pinheiros, Paulistano e
Mogi das Cruzes, que tinham o mesmo aproveitamento, para trás. Gegê falou da saída recente de Rafael Hettsheimer, que foi jogar na Espanha, e disse que o time já superou a perda, apesar de torcer muito para seu ex-companheiro.

– Tivemos uma perda importante, que foi o Rafa. Todos acharam que ficaríamos muito abalados, mas ele está torcendo por nós. Queria até mandar uma abraço para ele e que ele tenha muito sucesso na carreira dele.Agora,
o próximo desafio dos rubro-negros, que são comandados pelo técnico
José Neto, é justamente seu maior rival, o Vasco da Gama. No sábado, as
duas equipes se enfrentam a partir das 14h (de Brasília), na Arena da
Barra, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Já o Bauru vai encarar o Macaé
fora de casa, no dia 26 de janeiro, às 19h30.