Estudante de biomedicina xinga policial negro de macaco e acaba preso
Adventista

Fullbanner1


Estudante de biomedicina xinga policial negro de macaco e acaba preso

Fonte: Da Redação com O livre.
SHARE
Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre

Um jovem de 22 anos, estudante de biomedicina na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Araguaia, foi preso na manhã desta terça-feira (20), acusado de racismo, depois de xingar de “macaco”, um policial negro que estava em serviço. Dois amigos dele, de 22 e 25 anos, também foram presos.

O caso aconteceu no bairro Maria Joaquina II, em Pontal do Araguaia (520 km de Cuiabá), por volta das 05h20 desta manhã. Antes de ir até o local, a Polícia Militar recebeu várias solicitações dizendo que jovens estavam causando perturbação, com algazarra na rua, xingando e acordando a todos no bairro.

Conforme o boletim de ocorrência, quando a viatura policial passou perto do Clube do Magrão, o suspeito de 22 anos disse em voz alto: “seus macacos”.

Assim que ouviram o xingamento preconceituoso, os policiais desceram da viatura, o que fez com que o jovem aumentassem os xingamentos, agora diretamente direcionados a um sargento da Polícia Militar negro: “você é um macaco e você não pode me abordar”, consta no boletim de ocorrência.

Segundo os policiais que atenderam o caso, o jovem apresentava claros sinais de embriaguez alcoólica. Eles deram ordem para que ele parasse para ser revistado, mas ele não atendeu, dizendo que não seria ser abordado, porque era estudante de biomedicina da UFMT.

“Disse ainda em alto tom de voz ‘ainda vou ganhar dinheiro de vocês, seus otários’”, diz trecho do documento oficial. Com o desacato, a desobediência e a injúria racial, o estudante foi detido e colocado na viatura da PM.

Porém, no momento em que a equipe saía com o suspeito na viatura, os dois amigos que acompanhavam o rapaz, começaram a jogar pedras na altura da tampa do tanque de combustível da viatura, amassando o veículo.

Os militares desceram da carro novamente e foram em direção aos jovens, momento em que um deles, de 22 anos, passou a tentar intimidar os policiais dizendo: “sou sobrinho do coronel, vocês estão ferrados, vou fazer vocês responderem a um processo e ainda vou ganhar dinheiro de vocês, seus otários”, consta no boletim de ocorrência.

A equipe anunciou que os dois seriam presos pelo dano causado à viatura, por favorecimento pessoal, ameaça e desacato. Porém, como os jovens estavam exaltados e visivelmente alcoolizados, não obedeceram às ordens e resistiram à prisão.

O suspeito de 22 anos precisou ser imobilizado para ser detido, sendo que, segundo o boletim, ele seguiu ameaçando os policiais constantemente, dizendo ser sobrinho de coronel.

Duas viaturas da Polícia Militar foram acionadas para auxiliar na prisão dos jovens. Os dois últimos precisaram ser algemados por causa de forte resistência. Já na delegacia, quando se acalmaram, as algemas foram retiradas.

A viatura passou por perícia da Politec para que os danos causados pelas pedradas fossem constatados e registrados.

O jovem que dizia ser sobrinho de um coronel ficou, a todo momento, perguntando o nome dos policiais que atenderam a ocorrência, em tom de ameaça, dizendo que todos seriam exonerados.