Estabilidade da construção civil atrai multinacional para MT
Adventista

Fullbanner1


Estabilidade da construção civil atrai multinacional para MT

Fonte: Assessoria.
SHARE
Foto: Assessoria.

Os últimos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam o Centro-Oeste como a mais estável e em crescimento no setor da construção civil. Mato Grosso é o estado que mais tem se destacado, com registro de 6,63% de alta no último levantamento do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi). Os números têm cativado grandes construtoras a empreenderem na região.

Uma das apostadoras no mercado mato-grossense é a multinacional GPE Prime, que chegou em Cuiabá no início de 2018 com foco nas áreas comercial e habitacional. Dentre os principais campos de atuação estão obras residenciais e para o setor público corporativo como, shopping centers, lojas, hotéis e fábricas, por exemplo.

De acordo com o gerente de conta da empresa, Jenner Augusto Neto, o grande crescimento da construção civil brasileira, influenciado principalmente pela copa do mundo de 2014, fez com que a GPE olhasse para o Brasil, especialmente para região Centro-Oeste. “Nossa atuação está em Portugal, Angola e Moçambique. O grande ‘boom’ da construção civil no Brasil fez com que olhássemos diferente pra cá e decidimos iniciar nossa atuação no centro país. Nosso foco é atuar 80% no setor comercial e 20% no setor habitacional, que também apresentam atrativos para investimentos”, detalha.

A construtora aposta tanto em Mato Grosso, que já tem inclusive sede fixa na capital. Localizada na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, a empresa destaca-se pela qualidade dos serviços executados e cumprimento real do prazo acordado com o cliente. A GPE Prime já realizou projetos em Cuiabá, como a última e mais moderna revitalização do Pantanal Shopping. Outra construção é o Parque do Barbado, que segue em andamento, também de responsabilidade da multinacional.

Em razão da alta capacidade de planejamento dos processos administrativos e financeiros, a crise econômica que mexeu com o Brasil nos últimos três anos não gerou grandes impactos na construtora que cresceu cerca de 30% em seis anos. “Embora a crise tenha atrapalhado os diversos setores que aquecem a economia brasileira, nós conseguimos manter nosso faturamento em crescimento. Dando passos curtos, porém contínuos e garantindo qualidade no nosso planejamento administrativo”, afirma Jenner Augusto.