Eraí se esquiva e se diz longe da política
Adventista



Eraí se esquiva e se diz longe da política

Fonte: Da Redação com OD
SHARE
Eraí afirmou que só quer contribuir com ideias. Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Sob rumores de que estaria patrocinando uma ação judicial movida contra a senadora eleita Selma Arruda (PSL), seguindo uma proximidade com o candidato derrotada ao Senado Federal, Carlos Fávaro (PSD), o rei da soja, Eraí Maggi, negou, neste início de semana, qualquer interferência no processo eleitoral deste ano, alegando questões de foro “pessoal e empresarial”.

“Há muita especulação em torno dos meus apoios eleitorais. Quando o fiz, fiz de forma pública, transparente e legal. Nas eleições deste ano de 2018 fiquei mais distante do processo eleitoral em virtude de regras mais rígidas de governança e Compliance do grupo onde sou acionista. Eu desejo sorte e sucesso a todos os eleitos e vou sempre desejar o melhor a nosso estado e nosso povo”, desconversou.

Selma Arruda foi acusada, no final de setembro, por suposta prática de ‘caixa 2’ em sua campanha ao Senado. A primeira ação contra a juíza aposentada foi movida pelo advogado Sebastião Carlos (Rede). Depois, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou sua inclusão no processo. A última denúncia, sobre estes mesmos fatos e acusações, foi feita por Carlos Fávaro e assinada por uma banca de oito advogados.

À imprensa, Erai sinalizou gratidão ao estado e mostrou que quer seguir contribuindo apenas com ideias. “Sempre tentei contribuir para que o Poder Público viabilize os meios para que o agronegócio se desenvolva, gerando renda e uma vida melhor para nosso povo. Esse é o dever de todo empresário, contribuir para uma sociedade melhor. Estarei a disposição para sempre contribuir com ideias e com minha experiência quando for chamado”, finalizou o megaempresário, que recentemente tirou fotografia dentro do quarto onde estava internado Jair Bolsonaro (PSL) logo após a facada que este tomoou..