Encontro com Contadores discute a implantação do Bloco K do SPED Fiscal...
Fullbanner1


Macropel

Encontro com Contadores discute a implantação do Bloco K do SPED Fiscal em 2016

Fonte:
SHARE

Redação/ Assessoria

Cerca de 80 profissionais esclareceram dúvidas sobre o Bloco K do SPED Fiscal, que entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2016, e conheceram as vantagens de ser indústria durante o Encontro com Contadores, que ocorreu na noite desta quinta-feira (23/07), em Rondonópolis.

Promovido pela Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt) e os Sindicatos Patronais, por meio do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA) da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o evento abordou ainda a importância do associativismo para fortalecer o setor produtivo brasileiro.

“Este evento aqui para Rondonópolis foi muito importante porque aproximou o contador do setor industrial. Os palestrantes têm um jeito de falar que abre as portas para a comunicação. Eu vi que os contadores, que são profissionais importantes para a indústria e para os sindicatos que representam as indústrias em Mato Grosso, sentiram o clima de harmonia. Com certeza, esse encontro vai gerar bons resultados”, avaliou o vice-presidente do Sistema Fiemt, Mauro Cabral.

De acordo com o contabilista e consultor da CNI, Vicente Sevilha, a implantação do Bloco K proporcionará ao Fisco um maior controle da produção e do estoque das indústrias. “É um tema novo e nós, contadores, estamos sendo bombardeados com tantas informações. Nós temos que efetivar o serviço e, ao mesmo tempo, estudar a lei e interpretar para efetuá-lo. Então, acredito que todas as palestras e encontros são de grande valia para agregar conhecimento, já que é um tema novo. Hoje foi uma experiência muito válida”, disse a delegada-adjunta do Conselho Regional de Contabiloidade (CRC), Glaucia Akemi de Paula Kida.

A palestra ‘Por que ser Indústria?’, proferida pelo advogado trabalhista e consultor tributário da Fiemt, José Lombardi, foi ressaltada pela presidente da Associação dos Contabilistas de Rondonópolis, Cleyde Mair Borges. “Foi importante para conscientizar os profissionais. A lei existe e temos que cumprir, por isso achei muito válido. Inclusive vamos fazer parceria com os sindicatos para promovermos mais eventos. A conscientização da importância e dos benefícios que o Sistema Indústria traz, além da legalidade de se fazer o que é certo, foi fundamental”, disse.

O contador e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Milton Euzébio Amâncio, concorda. “Muitas vezes o contribuinte tem em mente o que vai produzir, o que vai vender, mas não tem o conhecimento específico. Quando ele procura um profissional da área contábil, é o profissional que classifica. Então, foi muito importante a definição de indústria para que, em um momento como este, o contribuinte já possa ser classificado dentro do que é inerente à atividade que ele vai desenvolver no dia a dia. A inciativa da Fiemt e dos Sindicatos foi muito boa, e contribuiu para abrir o leque, para que a gente pesquise e estude mais para cumprir essa obrigação, o Bloco K”.

O contador Cléber Catelani afirmou que a importância dos temas abordados durante o Encontro despertou imediatamente nele o interesse em participar.

“O evento foi de grande valia tanto pelo assunto, que mostrou a importância da atuação do sindicato, quanto do SPED, porque é uma realidade. Vivemos isso todo o dia e temos que estar muito focados e bem avalizados em relação ao assunto. Após esse Encontro, nos atentaremos mais da importância do Sindicato Patronal, pois foi um despertar para a questão do associativismo. É muito importante nos fortalecermos e buscar as associações, por meio dos sindicatos. Agradeço a oportunidade de participar e espero mais eventos como este aqui para a cidade”, garantiu.

Para Sevilha, por tratar de assunto técnico e ter um público de contadores, o Encontro foi muito produtivo. “Achei que essa aproximação do sistema de representação da indústria com os contadores para discutir um assunto técnico como este é fantástico, porque os empresários, em geral, depositam no contador a confiança para cuidar dessas questões. E, muitas vezes, o empresário nem sabe qual é a complexidade, qual é o nível que a questão tem. O contador pode ser um excelente interlocutor e, assim, estar mais próximo do industrial, orientando-o sobre como atender as exigências da lei”, finalizou.

Foram parceiros do Encontro com Contadores, em Rondonópolis, o Sindicato das Indústrias da Alimentação da Região Sul de Mato Grosso (Siar-Sul/MT), Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico da Região Sul de Mato Grosso (Sindimec-Sul/MT) e o Sindicato das Indústrias da Construção da Região Sul de Mato Grosso (Sinduscon-Sul/MT).

Montreal