Emoção do 1 ao 11: atacantes e goleiros prontos para a emoção...
Fullbanner1


Macropel

Emoção do 1 ao 11: atacantes e goleiros prontos para a emoção do Fla-Flu

Fonte: SporTV.com
SHARE

Flamengo e Fluminense começam a decidir, neste domingo, no Maracanã, o título do Campeonato Carioca. Na véspera da decisão, o “Troca de Passes” trouxe o depoimento de quatro estrelas da decisão: os atacantes Guerrero e Wellington Silva, além dos goleiros Diego Cavalieri e Alex Muralha. Entre os assuntos: a emoção do gol, de ter o nome gritado pela torcida e a final da Taça Guanabara, quando os tricolores venceram nos pênaltis, após 3 a 3 no tempo normal.

Sobre a Taça Guanabara:

“O último Fla-Flu que teve foi absurdo. Fazia tempo que eu não via um
jogo tão bonito, como foi aquele, com os dois times abertos, procurando o
ataque, se expondo, puxando contra-ataques, defendendo, saindo com
velocidade. Acabou sendo 3 a 3” (Diego Cavalieri, goleiro do Fluminense)

“A gente sabe que o futebol não é sempre só de vitórias. A gente
tenta esquecer um pouquinho, curtir a família. Nesses momentos, todo
mundo tem que estar junto, focado, para sempre buscar os resultados
positivos” (Alex Muralha, goleiro do Flamengo)

Sobre a emoção de fazer um gol:

“É um orgulho muito grande. No momento, você não percebe, você está na jogada, concentrado. A única coisa que você quer fazer é o gol. Mas a comemoração, o sentimento nessa hora… É muito importante comemorar com a torcida. Ainda mais no Maracanã, com o estádio lotado. É uma sensação única, que eu não sei como explicar” (Guerrero, atacante do Flamengo)

“Fico muito feliz de ver que Deus tem me abençoado, parar naquele momento poder marcar um gol. Ver que todo o trabalho que a gente faz na semana, para fazer um gol, ajudar a equipe. Acho isso muito importante” (Wellington Silva, atacante do Fluminense)

Sobre a emoção de ter o nome gritado pela torcida:

“Fico muito feliz, sei que as pessoas vêm para nos apoiar, nos incentivar. Quando gritam o nosso nome é porque eles sabem que a gente tem dado o nosso melhor, que a gente está lutando e brigando por esta camisa. Esse é o nosso objetivo” (Wellington Silva)

“Quando eu peguei o pênalti contra o Bangu, aquilo me marcou bastante. A torcida toda começou a gritar o meu nome. Ficou uma lembrança muito boa que eu tenho aqui no Flamengo” (Alex Muralha)

“A gente sabe que é o amor, a paixão da vida. Quando a gente tem esse reconhecimento, nos traz uma gratificação muito grande. Vale a pena cada esforço, para se entregar intensamente a cada dia, a cada jogo, em busca de melhoras e, é claro, de vitórias” (Diego Cavalieri)

“Me motiva muito mais, me dá vontade de seguir fazendo gols, me dá mais confiança, me deixa jogar mais à vontade, do jeito que eu gosto” (Guerrero)

Montreal