Emanuel só licitou 10% de R$ 700 milhões em obras e serviços,...
Supermoveis

Fullbanner2


Emanuel só licitou 10% de R$ 700 milhões em obras e serviços, aponta OS

Fonte: da redação com informações da assessoria
SHARE
Gestão de Emanuel Pinheiro é criticada por representante do Observatório Social de Cuiabá. Foto: Arquivo/G1.

Em sessão na Câmara de Cuiabá, nesta terça-feira (17), a auditora federal aposentada e vice-presidente de Controle do Observatório Social (OS), Elda Marilza Valim, fez uso da tribuna a convite do vereador Abílio Júnior (PSC) para criticar Emanuel Pinheiro.

Segundo a representante da ONG, de R$ 700 milhões gastos em obras e serviços públicos na Prefeitura de Cuiabá, apenas 10% passou por licitação.

De acordo com Elda, dispensar licitações para aquisição de obras e serviços públicos poderia dar margem para ações de corrupção.

“O que a Prefeitura está fazendo fere diversos princípios que norteiam o serviço público como o da transparência, isonomia, livre concorrência, publicidade, dentre outros”, afirmou.

“Não pode ser uma regra a dispensa de licitação ou adesão para aquisição de bens e contratação de obras e serviços. Todo cidadão tem que ter conhecimento sobre como e para onde o dinheiro público está sendo aplicado. Além disso, tal prática de adesão, dá maior possibilidade para desvio de dinheiro público, com superfaturamento de obras e muitas ações danosas de corrupção”, completou o vereador Abílio.

Em defesa do prefeito que apareceu em vídeo enchendo os bolsos de dinheiro, o líder Lilo Pinheiro (PRP), tentou amenizar a situação, dizendo que boa parte das dispensas feitas ocorreram em virtude do processo transitório, com intuito de evitar a descontinuidade das obras.

Contudo, o parlamentar foi rebatido pela auditora aposentada. “Já estamos em outubro e essa prática ainda tem sido contumaz. Isso tem que acabar”, salientou Elda.

Montreal