EMAMA lança Carta de Compromisso para implantação de políticas públicas
Supermoveis

Fullbanner2


EMAMA lança Carta de Compromisso para implantação de políticas públicas

Fonte: Assessoria
SHARE

O 1º Encontro Mato-grossense de Aleitamento Materno (EMAMA) terminou na sexta-feira (04.08). Foram três dias de seminários e oficinas de capacitação sobre diversos temas relacionados ao direito do bebê ser amamentado exclusivamente com o leite materno. O evento, que reuniu mais de 700 inscritos, foi realizado pela Coordenadoria de Promoção e Humanização da Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) e faz parte da programação do Agosto Dourado. O mês foi instituído por Lei Federal para sensibilizar e promover ações em defesa da amamentação natural. O autor da legislação é o coordenador do EMAMA, Rodrigo Carvalho, nutricionista e servidor da SES-MT.

No último dia, foram apresentados os 27 trabalhos científicos inscritos e produzidos por acadêmicos de cursos na área da saúde, por servidores e profissionais do setor sobre amamentação, conforme informou a coordenadora geral do EMAMA, Rosiene Pires.

O pediatra Roberto Diniz Vinagre fez um breve histórico sobre banco de leite humano em Mato Grosso e destacou a importância de ampliação desse serviço para a população, pois a quantidade existente é pequena diante da necessidade.

No estado, existem três bancos de leite humano em funcionamento: no Hospital Geral Universitário (desde 2001), no Hospital Universitário Júlio Müller (desde 2003) e no Hospital Santa Casa de Misericórdia e Maternidade de Rondonópolis (desde 2012). Havia também um banco de leite no Pronto-Socorro de Cuiabá, mas fechou.

A necessidade de ampliar os bancos de leite humano faz parte da Carta de Compromissos assinada pelos organizadores e participantes do 1º EMAMA e que será entregue às autoridades da área de saúde nos âmbitos federal, estadual e municipal. O objetivo é que políticas públicas sejam criadas e desenvolvidas no estado visando essa meta e outras relacionadas a direitos como: creches e salas de apoio à amamentação em ambientes de trabalho; implantação da estratégia Amamenta e Alimentação Brasil (IBFAN); reativação do Comitê Estadual de Aleitamento Materno; a promoção de mais eventos estaduais sobre o tema e a redução de índices de mortalidade neonatal, considerados altos em Mato Grosso (12,4 por mil habitantes), enquanto no País o índice nacional é de 9,9/1000 habitantes.

No encerramento do 1º EMAMA, os organizadores realizaram a premiação aos autores e colaboradores dos melhores trabalhos científicos.

123

O Prêmio intitulado “Prêmio Dr. Roberto Diniz Vinagre” destacou as melhores produções: “Projeto posto de coleta de leite humano Drive Thru”, representado por uma das autoras, Isa Keila do Amaral Vieira Peixoto da Silva; “Projeto ambulatório de amamentação ao recém-nascido prematuro”, representado por Joice S. Costa, do Hospital Regional de Cáceres; “Projeto aleitamento materno após liberação do freio lingual em recém-nascido”, representado por Fabiana Vitória Ananias Gonçalves; o “Projeto ações de promoção e proteção do aleitamento materno e lactantes com microcefalia de mães suspeitas ou com confirmação de infecção por zika vírus”, representado por Thiago Oliveira Freitas Becker; e o “Projeto concentração da glutamina no leite materno cru, maduro e após a pasteurização”, representado por Soraia S. Souza.

O mês de agosto contará com diversas programações realizadas por Prefeituras que aderiram à agenda única em defesa do aleitamento materno, lançada pela Secretaria de Estado de Saúde.

Confira a programação sobre aleitamento materno nos municípios aqui.

 

Montreal