Dribles, passes, ousadia e nada de gol: Dourado evolui, mas segue em...
Fullbanner1

show


Dribles, passes, ousadia e nada de gol: Dourado evolui, mas segue em jejum

Fonte: Hector Werlang
SHARE

Com direito a caneta, passes precisos, tentativa de gol do meio do campo e bola passando perto da trave adversária, Henrique Dourado mostrou bom futebol na estreia do Fluminense em 2017. Apesar de ter sido substituído por Pedro, que em oito minutos fez o gol da virada tricolor sobre o Criciúma, na noite de terça-feira, em Juiz de Fora, na rodada inicial da Primeira Liga, o Ceifador mostrou vontade para recuperar seu futebol e fazer mais do que os dois gols de 2016. A última vez que estufou a rede foi no dia 21 de agosto, na vitória por 1 a 0 sobre o Santa Cruz, pelo Brasileirão do ano passado.

Dourado atuou uma hora e dez minutos. Não marcou, mas evoluiu. Ao menos foi o entendimento dele. E também de Abelão.

– Pelo o que foi proposto, demoramos a encaixar a marcação.
Especialmente no primeiro tempo. Depois, crescemos. Primeiro jogo, é só o
começo. Tem de corrigir erros. A avaliação foi boa. Eu já estou com forma
física melhor na comparação com o ano passado. É mais a questão da jogada individual. A bola dividida de
cabeça, uma disputa de bola. A marcação para roubar a bola, como deixei o Sornoza na
cara do gol. Esses detalhes vão nos dar as vitórias – disse o camisa 9.

– Houve muita crítica a ele, mas a movimentação do Henrique foi muito
boa. O posicionamento do time foi em função dele, e ele foi muito bem
taticamente. Às vezes, não vai fazer o gol. Ele protegeu, ele saiu da
área e proporcionou a entrada em diagonal de Wellington e Marcos Junior.
Estou contente por isso – elogiou Abel.

Dourado poderia ter sido mais acionado. Foram poucos os cruzamentos que o encontraram, verdade. O lamento ficou por conta de uma grande chance perdida. Wellington o serviu dentro da área. Ele cortou o zagueiro e chutou para fora.

– Cortei o lateral (Marlon), tirei e saiu um pouco da trave. Pedro e
Marquinho entraram e marcaram gol. Mostra
também a vitória da equipe, Abel fala isso. Todos serão úteis, isso é importante. Todos têm de pensar
assim – disse Dourado.

O Flu só volta a atuar pela Primeira Liga em fevereiro. No dia 8, desafia o Internacional, no Beira-Rio. No domingo, contra  o Vasco, estreia no Carioca.