Dono de chácara atira em eletricista após discussão sobre política
Adventista



Dono de chácara atira em eletricista após discussão sobre política

Fonte: Da Redação com Folhamax
SHARE
Foto: Montagem.

Mais um ataque motivado por desavença política foi registrado no país. Desta vez, a tentativa de homicídio aconteceu numa chácara do bairro São Matheus, em Várzea Grande, após uma discussão política entre o proprietário, identificado como Carlos Brestas, 63 anos, e um eletricista que prestava serviços no momento.

O dono da chácara é apontado como autor do crime. A vítima, cuja identidade não foi revelada, está internada em estado grave no Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande.

De acordo com as informações, a Polícia Militar foi acionada para resolver uma troca de tiros na região da chácara. Chegando lá, encontrou o eletricista, cuja identidade não foi revelada, ferido com vários tiros.

À polícia, a vítima explicou que estava prestando serviços quando começou a  conversar sobre política com o proprietário da chácara. Eles acabaram discutindo devido à divergência de opiniões sobre a disputa presidencial entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL). Não foi informado qual candidato o atirador defendia.

O dono da chácara, então, teria ido ao quarto e pegado uma espingarda calibre 22, disparando vários tiros contra o eletricista. Os disparos atingiram os braços, pernas e estômago da vítima.

Ferido, o eletricista foi levado para o pronto-socorro de Várzea Grande, onde segue internado.

ATAQUES

A polarização entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad tem gerado inúmeros conflitos pelo país. Desde o primeiro turno, diversas denúncias de agressões e ataques entre apoiadores dos candidatos foram registradas em todo o país.

O caso mais emblemático ocorreu em Salvador. O mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, de 63 anos, conhecido como Moa do Katende, foi morto com 12 facadas após dizer que teria votado em Fernando Haddad. O autor do crime é eleitor de Bolsonaro, mas nega motivação política para o ataque.