Deputados apresentam votos em separado a favor de Wyllis no Conselho de...
Supermoveis



Deputados apresentam votos em separado a favor de Wyllis no Conselho de Ética

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Agência Câmara
SHARE

mcplayer(“#noticiaPlayer”).live({ id_element: “playerMP4”, flash_player: “/comum/js/SampleMediaPlayback.swf”, hls: “http://stream2.camara.gov.br:8134/plenario11/manifest.m3u8”, hds: “http://stream2.camara.gov.br:8134/plenario11/manifest.f4m”, poster: “http://www.camara.leg.br/internet/tvcamara/conteudo/img/tvcamara_poster.png”, width: 310, height: 206, muted: false, autoplay: false });
Assista ao vivo

Começou há pouco a reunião do Conselho de Ética da Câmara para discutir e votar o relatório do deputado Ricardo Izar (PP-SP) que recomenda suspensão do exercício do mandato do deputado Jean Wyllis (Psol-RJ) por quatro meses por ter cuspido no deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

O episódio ocorreu em 17 de abril do ano passado, no Plenário da Câmara, durante a sessão que aprovou a admissibilidade do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Izar defendeu a punição a Wyllis com o argumento no “alto grau de reprovabilidade da conduta perpetrada pelo deputado” do Psol

Logo no início da discussão do tema, nesta tarde, os deputados Leo de Brito (PT-AC) e Júlio Delgado (PSB-MG) apresentaram votos em separado, com conteúdo favorável a Wyllis. Brito sugere o arquivamento do processo movido pela Mesa Diretora da Câmara. Segundo ele, a punição a Wyllis abriria a possibilidade de que a “falta de respeito se transformasse em brecha para a suspensão de mandato parlamentar”. Além disso, Leo de Brito reforçou a tese de que Wyllis apenas reagiu a uma série de provocações homofóbicas vindas de Jair Bolsonaro.

Já Júlio Delgado recomendou apenas uma advertência a Wyllis, com o argumento de que a atitude do deputado do Psol não foi intencional, mas apenas reativa a provocações. Delgado alertou ainda para a possibilidade de a reunião desta tarde ser questionada junto à Comissão de Constituição e Justiça devido ao atraso no processo de composição dos novos integrantes do Conselho de Ética.

A reunião prossegue no Plenário 11.

Mais informações a seguir