Deputado federal é cotado para assumir Educação de Mato Grosso
Fullbanner1



Deputado federal é cotado para assumir Educação de Mato Grosso

Fonte:
SHARE
Foto: Internet/Divulgação

As eleições municipais de 2016 começam a refletir na composição do secretariado do governador Pedro Taques (PSDB). Isso porque numa ação de acomodação de interesses políticos o deputado federal Ezequiel Fonseca é um dos nomes cotados para assumir a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em substituição ao atual secretário Permínio Pinto (PSDB).

O tucano é um dos nomes cotados para concorrer a prefeito de Cuiabá ou até mesmo ser candidato a vice-prefeito em uma aliança com o PSB. Os socialistas estão articulando a candidatura à reeleição do atual prefeito Mauro Mendes (PSB).

A indicação de Ezequiel Fonseca para a secretaria de Estado de Educação faz parte de um projeto de ampliar o grupo político em favor do governador Pedro Taques (PSDB), considerado uma jovem liderança da classe política do Estado que ascendeu a condição de chefe do Executivo, mas ainda carece de um forte grupo político para construir novas opções em eleições futuras. Se assumir a vaga de secretario de Estado de Educação, Ezequiel Fonseca deixaria o mandato para ser exercido pelo médico José Augusto Curvo, que para herdar a vaga em definitivo de deputado federal aceitaria trocar o PDT pelo PP ou PSDB.

Nos bastidores, a indicação de Ezequiel Fonseca para assumir a titularidade da educação não sofre resistência do Palácio Paiaguás. Isso porque o parlamentar é professor de Matemática e atuou como um dos secretários adjuntos durante o mandato do ex-governador e atual senador da República Blairo Maggi (PR).

Ou seja, prevalece o entendimento de que consegue conciliar o perfil técnico com político, necessário para melhorar os indicadores da educação de Mato Grosso que tem tido resultados desastrosos nos últimos anos no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Esse processo de transferência do parlamentar para a titularidade da educação em Mato Grosso levaria a ser sacramentada a aliança PSDB-PSB, afastando assim o PMDB de um palanque que dê apoio a reeleição do prefeito Mauro Mendes.

Alçado a uma condição de líder do partido desde que deixou o PDT, o governador Pedro Taques já declarou publicamente que tem resistências em dividir o palanquem com o PMDB por conta da oposição que exerceu enquanto senador da República ao mandato do ex-governador Silval Barbosa. O prefeito Mauro Mendes afirma que pretende tomar uma decisão se disputa ou não a reeleição somente no final de março.

Nos bastidores, Mendes acredita que unir PSDB e PMDB em seu palanque sacramenta a eleição em primeiro turno, ainda mais diante de um cenário político com votos pulverizados. São pré-candidatos a prefeito de Cuiabá o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva, a ex-senadora Serys Slhessarenko, o procurador da Fazenda Nacional, Mauro César Lara de Barros, o procurador Mauro (PSOL),e o jornalista José Marcondes, o Muvuca, recém filiado ao PMDB.

 

Fonte: FolhaMax

Montreal