Depressão: um mundo sem luz!
Supermoveis



Depressão: um mundo sem luz!

Fonte:
SHARE

Vamos falar sobre depressão? Como muito se escuta, e com grande constância e relevantes diagnósticos, que por sinal descrito por muitos especialistas como o mal do século!

E realmente se torna assunto alarmante, e por consequências com resultantes avassaladores na sociedade, que se tornam cada vez mais comuns notícias suicídios por pessoas em estados depressivos.

A princípio ao criar e aprofundar sobre o tema, fiz brevemente perguntas á pessoas, em diferentes lugares, qual problemáticas que mais lhe chamavam á atenção á saúde mental, e como respostas de todas hás pessoas, à
depressão como força maior entre problemas emocionais agravantes. Mas estou me sentindo triste ultimamente, tenho depressão?

Não necessariamente, para se ter o diagnóstico de transtorno depressivo ou episodio depressivo, é preciso levar algumas considerações possíveis sobre o fato, o que podemos levar e consideração ás circunstâncias e que se esta vivenciando, se á tristeza que estou sentindo se prolonga por mais de duas semanas e se estão atrapalhando á continuidade de meus afazeres (vida familiar, pessoal, profissional ), em muitas das vezes acompanhadas de
pensamentos e angustiantes, que não lhe causa conforto, ou até mesmo pensamento de morte, á busca de ajuda profissional se torna evidente.

Á depressão somente desencadeia sintomas em relações á meus comportamentos, sentimentos e emoções? Com toda certeza não, consideramos á depressão como uma doença do corpo e da mente, por relações sintomatológicas físicas e psicológicas. De acordo com Mc kenzie (2015). “O que uma pessoa vivencia como sintoma de depressão pode ser muito diferente do relato de outra pessoa”. Podemos notar que há uma subjetividade de sintomas, variando de uma pessoa para outra, ou seja, o que sinto não é o mesmo que outro sente apesar de que, para fins de diagnóstico existe uma base proeminente de sintomas.

Como relata Mc Kenzie (2015), sobre sintomas da depressão com base aspectos psicológicos e físicos.

Psicológicos:
 Tristeza;
 Perda de interesse em coisas que costumava apreciar;
 Ansiedade;
 Embotamento emocional;
 Pensamentos depressivos;
 Problemas de concentração e de memória;
 Ilusões;
 Alucinações;
 Impulsos suicidas;

Físicos
 Problemas com sono (dificuldade para dormir, para acordar cedo, ou
dormir de mais);
 Lentidão física e mental;
 Aumento ou diminuição do apetite;
 Ganho de peso ou perda de peso;
 Perda do interesse sexual;
 Cansaço;
 Prisão de ventre;
 Menstruação irregular;

Realmente se olharmos para á descrição de sintomas, se torna até certo ponto ameaçadora ou exagerada, pois bem, se torna relevante à informação que á depressão também pode ser características sintomáticas de outras patologias mentais, como por exemplo; TOC, TAG, até mesmo o BULLING entre outros fatores. Em relação a doenças físicas como; Demências, Diabetes, Hipertireoidismo, e como Hipotireoidismo, Tuberculose, Meningite, podem estar

ligadas á depressão, ou serem fatores desencadeantes para o surgimento. Não significa que ao ter á doenças em si, poderei estar com depressão, existe fatores predisponentes e proeminentes, que também se influência pelo seu ciclo de vida, e suas experiências.

Alguns estudos relatam que as mulheres tem uma predisposição á desencadear o transtorno depressivo, mas por quê? Pelo fato de estarem ligadas a situações que exigem ampla disposição, como exposição social, ciclos menstruais, alterações hormonais, gravidez, menopausa, mas isso não exclui o surgimento do transtorno de depressão em homens.

Todos os quadros depressivos são graves?

De acordo com á CID 10 (Classificação de Transtornos mentais e de Comportamento), se classifica em dois momentos F32, Episodio depressivo, o individuo usualmente sofre de humor deprimido, perda de interesse e prazer e energia reduzida levando a uma fatigabilidade aumentada e atividade diminuída. F33, o transtorno é caracterizado por episódios repetidos de depressão, como especificada em episódio depressivo.

Sendo assim, para avaliação de gravidade ou não, deve ser avaliar as diretrizes de diagnóstico de cada paciente, em relação suas subjetividades e relação sintomática.

Depressão está vinculada ao mundo de sobras e tristezas?

Depressão tem tratamento, que trabalha á melhoria do seu bem estar, e sua qualidade de vida, tornando se forte o bastante para superação. Não podemos deixar de levar em consideração que o tratamento em casos de diagnósticos depressivos, se torna necessário a participação assídua do médico e também do psicólogo.

A psicoterapia te levará na compreensão e superação de sentimentos, de angústias que certamente acarretará ao longo do tratamento, participando do processo de autoconhecimento, e motivação.

No tratamento da depressão algumas adaptações, que certamente são necessárias, um novo estilo de vida, expressar sobre seus sentimentos, estar ativamente em meio á pessoas, á prática de exercícios físicos e alimentação saudável, se tornam papéis fundamentais para recuperação do quadro depressivo, e sobre qualquer tratamento a regularidade na psicoterapia (Psicólogo), como também no seu médico pessoal.

Estar com depressão não significa que o mundo não terá mais luz, ou que seu brilho não se tornara evidente, às vezes é preciso gritar, mesmo em silêncio para que ao meu lado alguém escute tudo se torna claro quando estou buscando me ajudar internamente.

Como alguém de fora pode me ajudar?

A companhia é fundamental neste processo de tratamento, uns dos maiores conflitos na depressão é o isolamento social, estar com á pessoa mesmo quando ela não queira, ouvir mesmo quando não se tem palavras, ser o esteio em momentos de desequilíbrio, de fato se tornar presente para o outro, ninguém consegue ser ou viver sozinho, somos seres que depende uns dos outros, mesmo que em muitas das vezes um não sinta vontade de ver, mas de repente o outro pode ser o feixe de luz necessário para clarear o olhos dos outros.

Adilson Lisboa Tavares
Psicólogo
CRP. 18/07833
Fone (66)99653-0235