Depois de Lula, casa de Dilma começa a desmoronar
Adventista

Fullbanner1


Depois de Lula, casa de Dilma começa a desmoronar

Fonte: Da Redação com informações VEJA
SHARE
Ex-presidente acaba de virar ré e é incluída no "quadrilhão do PT" que lesou a Petrobrás. Foto - Nacho Doce/Reuters

A acusação, formulada ainda pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, aponta fortes indícios de esquemas montados desde 2003, ano que Lula já comandava a República, até 2016, último ano de Dilma no Poder, com o propósito explícito de lesar a Petrobrás. Segundo números colhidos, o rombo total a mando da dupla alcançou R$ 1,5 bilhão durante os quase 14 anos em questão. Os valores, conforme já apontou a Operação Lava-Jato, possibilitaram o pagamento de propinas a diversos destinos pelas empreiteiras Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa, Mendes Júnior, Galvão Engenharia e Engevix, que tinham contratos com a Petrobras.

“Verificou-se o desenho de um grupo criminoso organizado, amplo e complexo, com uma miríade de atores que se interligam em uma estrutura de vínculos horizontais, em modelo cooperativista, nos quais os integrantes agem em comunhão de esforços e objetivos, bem como em uma estrutura mais verticalizada e hierarquizada, com centros estratégicos, de comando, controle e tomadas de decisões mais relevantes”, apontou Janot, convencendo o juiz, que despachou: “Considero ser a denúncia idônea e formalmente apta a dar início à presente ação penal contra os denunciados. Outro nome quer faria parte do chamado quadrilhão é o da senadora Gleisi Hoffmann (PT), atual presidente do partido e que recentemente se elegeu deputada federal. Por ainda ser parlamentar ela, inicialmente, responderá diretamente ao Supremo Tribunal Federal – STF.