DENÚNCIA: Qualidade duvidosa do asfalto está gerando desconfiança e moradores podem acionar...
Supermoveis

Fullbanner2


DENÚNCIA: Qualidade duvidosa do asfalto está gerando desconfiança e moradores podem acionar o MPF

Fonte:
SHARE
Asfalto casca de ovo

Redação

Maquinas trabalhandoO pavimento asfáltico do tipo TSD – Tratamento Superficial Duplo com ligante asfáltico convencional que está sendo aplicado na região do Jardim Liberdade e Nova Era, entre outros, tem gerado muitas dúvidas e questionamentos entre os moradores e também na sociedade rondonopolitana, sobre a qualidade do mesmo, que até já apelidou o asfalto de “casca de ovo”

Segundo levantamentos de alguns profissionais da área (engenheiros e técnicos), existem algumas normas que deveriam ser obedecidas e aplicadas para aquele tipo de asfalto e que não estariam sendo observadas.

Segundo esses técnicos, o TSD como é conhecido precisa ter uma base entre 15 e 20 centímetros, e segundo as informações, isso pode não ter sido obedecido naquela região.

Expessura do pavimento
Espessura do pavimento

Outra possível irregularidade, e que se pode constatar sem precisar ser um profissional da área, diz respeito à espessura do asfalto, que depois de compactado, deveria ter em média 2,5 centímetros, mas que observando a olho nu, percebe-se que o mesmo não chega a 1,5 centímetros.

O NMT procurou a Caixa Econômica Federal para tentar esclarecer a situação, já que asfaltos mais antigos implementados na cidade, tem base que chegam a 40 centímetros, como é caso do Centro da cidade, ou 20 centímetros, que estaria dentro das especificidades do tipo de pavimento em questão.

Mas, estranhamente a Caixa informou que não lhe cabe mais fazer medições aleatoriamente como fazia antes, e que agora a fiscalização cabe à própria dona da obra, no caso a prefeitura. ‘Isso é no mínimo estranho, porque soa como se ‘colocasse a raposa cuidando do próprio galinheiro’.

Placa da obraÉ bem verdade que os moradores até ficaram animados com a novidade do asfalto passar em frente de suas casas, mas, como dizem, esperavam uma obra com mais qualidade, já que trata se de dinheiro público e o valor ultrapassa a casa dos R$ 10,4 milhões.

Um morador da região que preferiu não ser identificado, temendo sofrer retaliações, disse: “Gente, como podem fazer uma obra dessa, que a gente esperou tanto tempo, mas tão ruim assim, parece uma casca de ovo! Eu tenho certeza que após as primeiras chuvas essa lama asfáltica que eles colocaram aí, vai derreter toda! É muito desrespeito com o dinheiro público. Eu acho que, já que estão gastando, deveriam fazer uma coisa que durasse mais e não precisasse ser refeita a cada seis meses, porque é o que vai acontecer! Isso é desperdício de recurso público! Eu acho um desrespeito ao contribuinte que paga tudo isso com o suor do seu trabalho. Alguém precisa fazer alguma coisa; senão fizerem, nós já estamos nos organizando para procurar o Ministério Público e denunciar”, adiantou o morador.

Então, a pergunta que fica é: isso vai continuar assim mesmo, sem nenhum tipo de explicação por parte do poder público? Afinal de contas é o dinheiro público sendo aplicado de forma suspeita, ou no mínimo, discutível.

PreparaçãoOutra pergunta que fica no ar é: se estão fazendo a obra pela metade como parece, supõe-se que estejam gastando menos do que deveriam! Então, por essa lógica, deve estar sobrando recurso! E surge outra pergunta: para onde está indo o restante? Cadê o dinheiro que deveria ser gasto ali?  A quem estaria beneficiando, e com que objetivo?

Muita coisa precisa ser devidamente explicada, para que não pairem dúvidas sobre a lisura e transparência do investimento e efetiva aplicação do recurso público.

Empresa SilgranOutra questão levantada pelos moradores, é quando a denúncias de que a empreiteira que executa as obras, “Silgran Construções Ltda”, ter sido apontada pela Polícia Federal como a maior beneficiária de um esquema fraudulento que manipulava e direcionava o resultado dos processos licitatórios para obras de infraestrutura em 2010.

Muita coisa precisa ser devidamente explicada…

Leia… Matéria sobre a empresa Silgran 

Montreal