DEM tenta atrair PP para minar candidatura de Fagundes
Supermoveis



DEM tenta atrair PP para minar candidatura de Fagundes

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Entre as três maiores lideranças progressistas, Neri Geller e Ezequiel Fonseca devem disputar a Câmara Federal, enquanto o atual ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi, decidiu não concorrer em 2018. Foto - Rogério Florentino/OD

O grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), tenta atrair o PP comandado em Mato Grosso pelo deputado federal, Ezequiel Fonseca, e que tem Neri Geller e o atual ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi, como algumas das suas grandes figuras, para fazer parte do seu arco de aliança na tentativa de reduzir a um embate quase direto a disputa eleitoral contra Pedro Taques (PSDB).

Os democratas acreditam que a vinda do PP, acompanhando caminho feito pelo MDB, seria a cartada final para retirar o projeto de Wellington Fagundes (PR) do páreo. Eles acreditam que o atual senador da República ainda não desistiu de concorrer nas eleições 2018 porque está sustentado na aliança que tem com PP e PT, que junto ao seu PR lhe dão uma boa margem de tempo de televisão e estrutura política para cacifar uma candidatura majoritária. O republicano ainda conta com PCdoB, PTB e outras várias siglas de menor expressão, mas que juntas também ajudam neste processo.

A frentinha encabeçada pelo senador José Medeiros (Pode-MT) é o mais novo reforço de Fagundes, que praticamente acertou uma das suas vagas de Senado Federal para o projeto de reeleição de Medeiros. A outra vaga para disputar o mais nobre parlamento do país deve ficar com a ex-reitora, Maura Lúcia Cavalli Neder (PCdoB), enquanto PTB e PP trabalham para indicar o vice do PR. Com esta estrutura, Wellington entraria em condições iguais.

Ezequiel tem garantido que o partido segue firme ao lado de Wellington, até porque com Mauro praticamente todos espaços já foram ocupados e com o PR ainda há uma chance de compor a majoritária. As negociações de bastidores, porém, seguem fortes e muitos afirmam que a vinda dos progressistas ao palanque de Mendes é muito provável…