Defensoria Pública nomeia dois novos defensores públicos para comarcas do interior de...
Supermoveis



Defensoria Pública nomeia dois novos defensores públicos para comarcas do interior de MT

Fonte: Da redação
SHARE

A Defensoria Pública de Mato Grosso (DPE/MT) nomeou e dará posse nos próximos dias para dois novos defensores públicos substitutos, Carolina Henrica Borin Giordano e Tiago Venícius Pereira Passos. Eles foram aprovados no último concurso para membros da Instituição, realizado no segundo semestre de 2016 pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

O concurso ofertou 19 vagas e foi organizado em três fases, a primeira com prova objetiva, a segunda com prova dissertativa e a terceira, com prova de arguição oral. Até o momento, 26 aprovados foram convocados, mas desses, sete pediram exoneração após entrar em exercício; nem assumiram a vaga; ou ainda, pediram para ir para o final da fila da convocação.

“Esses dois defensores estão dentro das 19 vagas, substituindo quem entrou e não ficou, quem não quis tomar posse ou quem a adiou. Um deles atuará no município de Colniza, pois o defensor que atuava lá irá para Cáceres. E a outra ainda estamos definindo o local, mas provavelmente irá para Porto Alegre do Norte”, explicou o defensor público-geral em exercício, Caio Zumioti.

O concurso público foi homologado em 13 de dezembro de 2016, com validade de dois anos, podendo ser prorrogado por igual período. Esse foi o quinto concurso para recrutar defensores para a DPE/MT. A Instituição foi instalada em Mato Grosso em fevereiro de 1999, com 24 defensores e hoje conta com 188, distribuídos em 42 comarcas.

Para o goiano da cidade de Passos, Tiago, 29 anos, a nomeação é a realização de um sonho, cuja dedicação começou, de forma focada, três anos antes da aprovação. “A Defensoria Pública era o meu objetivo. Estudei para esse concurso por três anos e, paralelo a isso, trabalhei como procurador do município, professor universitário e estava como analista judiciário concursado no Tribunal de Justiça de Goiás, mas a Defensoria era o meu sonho. Queria trabalhar em favor de quem mais precisa de auxílio jurídico neste país. Agora, vou viver essa realidade”, conta.

A paranaense Carolina, 31 anos, casada há duas semanas, também recebeu a nomeação como a realização de um sonho antigo. Ela conta que mora em Mato Grosso desde os seis anos, fez faculdade em Londrina e voltou para Cuiabá, onde trabalhou no Fórum, onde a vontade de ser defensora começou. “Eu atendia na Vara de Família e ali via que para pessoas carentes a Defensoria era a única esperança que tinham em ver seus problemas solucionados. Estudei cinco anos para esse concurso e agora estou ansiosa para assumir”, conta.

Atualmente Carolina mora em Lucas do Rio Verde, onde trabalhava como advogada concursada na Câmara Municipal. Ela afirma, no entanto, que desde a nomeação já está de malas prontas. “Realizei vários sonhos recentemente, me casei, mudei para minha casa e agora fui nomeada, só posso comemorar”.