Decisão do STF sobre Aécio pode beneficiar Gilmar Fabris
Supermoveis

Fullbanner2


Decisão do STF sobre Aécio pode beneficiar Gilmar Fabris

Fonte: da redação
SHARE
Gilmar Fabris está preso no Centro de Custódia da Capital desde setembro. Foto Marcus Vaillant.

A defesa de Gilmar Fabris já está toda ouriçada com a recente decisão do STF que determina que as medidas cautelares que dificultem ou impeçam, direta ou indiretamente, o exercício regular do mandato de deputados federais e senadores devam ser remetidas, em 24 horas, à respectiva Casa Legislativa para deliberação.

Isso quer dizer que quem vai decidir o futuro do Aécio são seus próprios pares no Senado, por meio de votação que pode ser aberta ou, de preferência, secreta para evitar o desgaste dos defensores do tucano.

Com isso, abre-se uma oportunidade para a defesa de Gilmar Fabris e a própria Assembleia pedirem ao mesmo STF que a necessidade de prisão de Gilmar seja debatida pelos seus colegas.

Se depender do coleguismo, Gilmar já está solto. Pelo menos é o que se ventila pelos bastidores da Casa.

Por enquanto, o suplente Meraldo Sá (PSDB) assume as funções do deputado desde que ele foi preso em 16 de setembro de 2017 durante a Operação Malebolge, da Polícia Federal, acusado de obstrução de Justiça.

E por quê?

Segundo as investigações, Fabris teria saído de casa em seu carro um pouco antes da chegada dos policiais, levando consigo uma pasta preta. A defesa alega que ele sempre saiu de casa cedo com sua maleta, mas não comentou a tese do pijama que ele estaria vestindo quando saiu esbaforido.

Até o momento, para Fabris, o mais perto da liberdade é o próximo banho de sol no Centro de Custódia da Capital.

Montreal