“De 0 a 10, minha predisposição é 10”, diz Fagundes sobre Governo
Supermoveis



“De 0 a 10, minha predisposição é 10”, diz Fagundes sobre Governo

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Arquivo/ReporterMT

Para quem ainda não bota muita fé na candidatura do senador, Wellington Fagundes (PR), para o cargo de governador em 2018, na tentativa de suceder Pedro Taques (PSDB) na chefia do Executivo Estadual, o republicano deixou claro, nesta semana, que o papo é sério e que está animado para a possível disputa que se avizinha.

Com um discurso de aglutinação e de não fechar as portas para nenhum partido, o político que tem domicílio eleitoral em Rondonópolis e bases espalhadas por todo o estado, já começou, porém, a dar um esboço de quais são as forças que já confirmaram inicialmente que caminhão consigo.

“Temos um grupo de partidos dos quais posso citar o PR, MDB, PP, PTB e PSB. Esse é o núcleo do diálogo. Já coloquei minha pré-disposição pra ser candidato. De 0 a 10, minhas predisposição é 10. Agora, as convenções e que dirão quem serão os candidatos”, disse o senador, em conversa com a Rádio Capital FM.

Wellington está em meio do seu mandato de oito anos, ou seja, não corre riscos de ter nenhum tipo de prejuízo ou de ficar sem mandato caso chegue ao insucesso no pleito. Sabedor que precisa do máximo de ajuda possível. o pré-candidato tem convocado lideranças políticas, comunitárias e de todo setor para conversar.

“Não temos dificuldade de conversar, não vetamos nenhum partido, nenhum segmento social do Estado. Se for uma aliança para construir, para fortalecer, para ajudar à população, todos são bem vindos”, pontuou o senador, que sinaliza uma grande chance de ter o apoio do PSD, que nos últimos dias almoçou com Mauro Mendes (DEM), outro provável nome na disputa.

Independente de Taques ter um ou dois nomes fortes opositores na disputa, Fagundes sinaliza que isso já é o pior cenário para o atual gestor. “Zeca Viana, Otaviano Pivetta, Mauro Mendes, o próprio DEM, o Julio Campos tem colocado de forma explícita que não tem como apoiar o atual Governo. Então, todas essas pessoas descontentes representam a grande maioria da população Mato Grosso”, atacou.