Criminoso morto em confronto com a Força Tática de Juína ainda não...
Adventista

Fullbanner1


Criminoso morto em confronto com a Força Tática de Juína ainda não foi identificado

Fonte: Da Redação com Juina News.
SHARE
Foto: Reprodução Juina News.

O assaltante que estava envolvido no roubo a residência e sequestro de uma família na noite de ontem veio a óbito em confronto nesta quinta-feira, 29 por policiais militares da Força Tática da cidade de Juína/MT ainda não foi identificado.

Segundo o Capitão PM Machado da Força Tática de Juína, há informações de que o criminoso que foi morto, pertence ao grupo de crime organizado Comando Vermelho de Cuiabá, trata-se de um individuo significativamente perigoso. O capitão relatou que foi encontrada uma arma de fogo em posse do criminoso, um revolver calibre 32, com quatro munições, sendo duas intactas, uma deflagrada e uma “picotada”, ou seja, munição que foi percutida, porém por alguma falha não houve o disparo. Há indícios que exista participação de pessoas da cidade de Juína no crime, uma vez que os suspeitos detidos são desse município.

A troca de tiros aconteceu numa região de mata e brejo entre os bairros, módulo – 5 e 6. O acusado foi visto pelos policiais, onde foi iniciado uma verbalização que não foi obedecido e na sequencia houve confronto armado que resultou na morte do criminoso.

Através do trabalho em conjunto da Policia Militar, Força Tática e Policia Civil, também foi esclarecido que o veículo Fiat Palio usado pela quadrilha durante o crime é produto de roubo que ocorreu na data de 8 de novembro na capital do estado. O veículo na data de ontem dia 28, às 07:00h passou no pedágio da cidade de Diamantino-MT e foi constatado que veio à Juína diretamente para o crime com a intenção de posteriormente retornar a sua origem.

Há um segundo suspeito que teve participação no crime e ainda encontra-se foragido, as guarnições estão trabalhando intensamente em diligencias para localizar o suspeito.

Qualquer informação que possa levar ao suspeito, ligue no 190, não há necessidade de identificar-se.

Até o fechamento desta matéria, o infrator morto ainda não havia sido identificado.