CPI não consegue intimar empresas investigadas porque são apenas de fachada
Supermoveis

Fullbanner2


CPI não consegue intimar empresas investigadas porque são apenas de fachada

Fonte:
SHARE
Foto: Assessoria

Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal, o deputado Zé do Pátio (SD) afirmou que está enfrentando dificuldades para intimar os responsáveis das empresas investigadas pela Assembleia Legislativa.

Conforme Zé do Pátio, como as empresas que estão sob o Regime Especial de tributação são apenas de fachada, popularmente conhecidas como “laranjas”, os endereços das sedes não estão atualizados.

“Não estamos encontrando essas empresas para convocá-las, existe uma grande dificuldade”, relata o deputado, explicando que há uma equipe da CPI investigando-as desde o último dia 4.

Já foram realizadas 94 auditorias, que encontraram 1003 irregularidades. Antes do recesso da Casa de Leis, Zé do Pátio ressaltou que mais 19 empresas, que usam liminares para manter o benefício do Regime Fiscal, estão sendo investigadas.

O encerramento dos trabalhos da CPI está previsto para março de 2016, porém o presidente da Comissão, em outro momento, destacou que está preocupado porque há muitos dados para serem estudados.

No próximo mês, representantes do grupo JBS deverão comparecer à CPI para prestar depoimentos. Eles já foram convocados, mas alegaram que estavam na Holanda e não poderiam depor.

“Eu comuniquei que se eles não vierem, vão ser convocados de forma coercitiva”, relatou o deputado Zé do Pátio.

Nos últimos dias de 2015, a JBS devolveu mais de R$ 300 milhões ao Estado por meio de uma ação do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira). O dinheiro foi utilizado para pagar os salários dos servidores.

 

Fonte: HiperNoticias

Montreal