CPI entra na fase final de depoimentos e ouve mais cinco
VendaMais

CPI entra na fase final de depoimentos e ouve mais cinco

Deputado diz que CPI precisa ouvir, ainda, representantes da empresa JBS S/A

SHARE
Foto:Marcus Mesquita/MidiaNews

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Frigoríficos da Assembleia Legislativa realiza nesta terça-feira (23), mais uma rodada de oitivas com quatro representantes de frigoríficos e um prefeito mato-grossense.

Conforme organograma da equipe técnica, o primeiro a ser ouvido será o representante do frigorífico Margen S/A, de Barra do Garças. Na sequência, falam um representante da empresa Brasfrin S/A, de Nova Monte Verde; depois o prefeito de Matupá, Válter Miotto Ferreira. Em seguida, um dos diretores da BRF S/A, de Várzea Grande, André Luis Baldisseira, que substitui o então convocado Pedro de Andrade Faria. Encerrando os depoimentos, um dos diretores do Sol Nascente, de Cáceres, José Antonio Duarte Alvares.

Vale destacar que a CPI dos Frigoríficos entra na fase final de depoimentos para a formatação do relatório definitivo, porém o presidente do grupo, deputado Ondanir Bortolini (PSD)- o Nininho, entende que os membros da CPI precisam ouvir um dos representantes da empresa JBS S/A para terminar os trabalhos.

“Não vamos terminar sem ouvir a JBS. Precisamos dar uma resposta à sociedade, pois temos números que comprovam irregularidades dessa empresa no abate de bovinos nos últimos anos no estado”, disse Nininho.

Instalada no dia 8 de março deste ano, a CPI dos Frigoríficos foi prorrogada por mais seis meses, devido a grande demanda de informações. Segundo Nininho, o principal motivo para sua instalação é que algumas empresas teriam provocado a demissão de cerca de oito mil trabalhadores ao fecharem 20 plantas frigoríficas no estado e, que, estariam prejudicando os pecuaristas, uma vez que, com essa ação, teriam começado a praticar um preço desvalorizado da arroba do boi.

“A diferença de valor chegou a ser de 15% a menos em Mato Grosso quando comparado com outros estados, como São Paulo, por isso, a importância da criação desta comissão”, afirmou o deputado.

A preocupação do presidente da CPI vai ao encontro da informação colhida através de uma matéria veiculada no jornal “O Estado de São Paulo”, de que a JBS estaria em fase de falência e transferindo seus trabalhos para a Irlanda.

“Se trata de uma ação relâmpago no grupo das empresas JBS Friboi que levanta suspeita de especialistas em mercado de que algo pode estar muito errado no grupo. A principal suspeita é de preparação de falência”, explicou Nininho.

O deputado foi enfático ao afirmar que os membros da CPI não abrem mão da participação de um dos representantes da JBS para conclusão dos trabalhos, que segundo Nininho,  comprova a manipulação no mercado da carne em Mato Grosso.

“Há números exorbitantes que mostram a aquisição de 21 plantas frigoríficas pela JBS que estavam em funcionamento, mas que, depois foram fechadas onze, tirando a expectativa econômica dos moradores desses municípios. Os diretores da JBS precisam explicar esses motivos para a CPI, porque quem aluga planta para fechar  está mal intencionado”, destacou o deputado.

Fonte:MidiaNews.

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO