ARTIGOS MAIS RECENTES

0

Quase dois mil imóveis estão disponíveis para compra através de financiamentos próprios das construtoras e também via Caixa Econômica Federal

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

Começa nesta sexta-feira (23) e prossegue até domingo (25), no Parque de Exposições, o Feirão Caixa da Casa Própria de Cuiabá. O evento tem realização da Caixa Econômica Federal e do Sindicato das Indústrias da Construção do Estado de Mato Grosso (Sinduscon/MT), e apoio do Sindicato da Habitação de Mato Grosso (Secovi/MT). Quase dois mil imóveis novos ou usados estão disponíveis para compra. A entrada para visitação é gratuita, basta fazer o credenciamento no local do evento.
São apartamentos (na planta ou prontos para morar), casas (individuais e em condomínio), lotes residenciais e terrenos em condomínio. Todos os imóveis estão disponíveis para negociação nas modalidades de crédito operadas pela Caixa. Durante o Feirão, haverá construtoras que oferecerão descontos no preço de imóveis e também aquelas que aceitarão outros imóveis ou carros como uma parte da forma de pagamento.
A expectativa da comissão organizadora do evento é gerar negócios na ordem de R$ 250 milhões e receba um público visitante estimado em 2 mil pessoas.

Cerca de 30 expositores, entre construtoras, incorporadores, imobiliárias e outras instituições, participam do evento, que irá oferecer ao público visitante opções de imóveis para todos os padrões, gostos e renda.  No Feirão de Cuiabá podem ser encontrados imóveis de R$100 mil a R$ 3,5 milhões com metragem entre 44 metros quadrados a 1,2 mil metros quadrados.
Segundo a Caixa Econômica Federal, Mato Grosso dispõe de R$ 600 milhões em crédito imobiliário somente para 2017. A Caixa é a instituição financeira que apresenta as taxas de juros mais competitivas para quem quer adquirir imóvel para moradia ou investimento. Ela é responsável por cerca de 70% do crédito imobiliário no país. A Caixa terá um estande para atender o público visitante do Feirão em Cuiabá com 10 atendentes, habilitados para tirar dúvidas, fazer simulações e apresentar as possibilidades de financiamento para a compra de um imóvel.
“A grande vantagem do evento é que o Feirão Caixa concentra todas as etapas do processo de aquisição da casa própria em um só lugar. Nele, o cliente escolhe um dos vários imóveis ofertados e já inicia o processo de financiamento”, explica o gerente de Construção Civil da Superintendência Regional da Caixa em Mato Grosso, José Luiz Dias.
Os imóveis ofertados no Feirão Caixa da Casa Própria estão localizados em Cuiabá, Várzea Grande, Jangada. No entanto, várias empresas participantes do feirão também possuem empreendimentos em regiões como Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Sinop e Sorriso.
“O Feirão é uma oportunidade única para aproveitar e adquirir o seu imóvel com preços especiais. Gerentes e diretores de várias empresas estarão no local com a finalidade de facilitar as negociações e bater o martelo para você já sair de lá com a casa própria”, afirma o presidente do Sinduscon/MT, Julio Flávio Campos de Miranda.
O Feirão traz lançamentos e produtos em estoques. “Para quem está procurando imóveis para moradia ou investimento, deixe para fechar negócio durante o feirão, a partir desta sexta-feira. Você terá oportunidade de fazer um bom negócio, encontrando preços imbatíveis e taxas de juros mais atrativas do mercado”, esclarece o vice-presidente do Secovi/MT, Guido Grando Junior.
Documentos Necessários – Para solicitar crédito para aquisição da casa própria durante o Feirão Caixa, os interessados devem levar documento de identidade, CPF e comprovantes de renda e residência atualizados. A aprovação do crédito é baseada nas informações do perfil do cliente, como renda, capacidade de pagamento e ausência de restrições cadastrais.
No site do evento (clique aqui), os interessados em adquirir um imóvel podem fazer simulações e acessar informações sobre o uso do FGTS no financiamento imobiliário, a documentação necessária e as datas e horários em que o evento ocorrerá em sua cidade.
O Feirão Caixa da Casa Própria de Cuiabá tem patrocínio da MRV/Prime e da Imobiliária Paiaguás Ltda. Os expositores do feirão são: Associação das Construtoras e Incorporadoras de Mato Grosso, Ávida Construtora e Incorporadora S/A, BC Genera, Cleide Imóveis Ltda, Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI), CMF Construções, Concremax Concreto e Engenharia Ltda, Conenge Construção Civil Ltda, Construtora São Benedito, Consultoria Eirelli, D’Souza Imóveis,  Federação Nacional de Entidades Habitacionais dos Correios e Telégrafos, Gerencial Construtora e Administradora Ltda, Ginco, GMS Construtora, Golden Gestão de Negócios Imobiliários Ltda, JD de Campos Neto Incorporação e Construção, Kasual Incorporadora e Construtora Ltda, MFMT Construtora e Incorporadora, Melin Construções e Incorporações Ltda, Pedeouro Imóveis Ltda, Rosa Imóveis Ltda, Sisan Engenharia e Tirante Construtora.
Programa Minha Casa Minha Vida
Os imóveis que serão ofertados no Feirão Caixa podem ser enquadrados nas faixas 1,5, 2 e 3 do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) do governo federal . Para as faixas 1,5 e 2, as famílias ainda podem contar com subsídio do governo, além de financiamento com taxa de juros abaixo da praticada no mercado. A faixa 3 prevê o financiamento com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) também com taxas abaixo do mercado.
Desde o início de 2017, o Ministério das Cidades elevou para R$ 9 mil o teto da renda familiar para a adesão ao programa habitacional. Com o aumento do limite de renda, mais famílias já podem ser atendidas pelo programa.
Faixas de renda para financiamentos do PMCMV:
Faixa 1: para famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil (*moradia de interesse social não disponível no Feirão Caixa)
Faixa 1,5: limite de renda mensal de R$ 2,6 mil;
Faixa 2: limite de renda mensal de R$ 4 mil;
Faixa 3: limite de renda mensal de R$ 9 mil.
SERVIÇO

Pauta: Feirão Caixa da Casa Própria de Cuiabá
Data: 23 a 25 de junho de 2017

Horários:

23 de junho – Sexta-feira
Horário: das 16 às 22h
24 de junho – Sábado
Horário: das 14 às 22h
25 de junho – Domingo
Horário: das 14 às 21h
Anderson Pinho, Assessoria de Imprensa do Sinduscon-MT

0

Desempenho do setor foi o melhor para abril desde 2013 e o primeiro resultado mensal positivo neste ano

68eeab5c3760d078fb8b7ce7ba221c73

 

 

A produção industrial brasileira subiu 0,6 por cento em abril na comparação com o mês anterior, muito melhor do que o esperado mas ainda insuficiente para garantir que já estava havendo recuperação mais consistente da atividade no início do segundo trimestre.

Foi o melhor desempenho para abril desde 2013 e o primeiro resultado mensal positivo neste ano. Na comparação com abril do ano passado, no entanto, a produção caiu 4,5 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.
As expectativas em pesquisa da Reuters com economistas eram de estabilidade na variação mensal e de queda de 5,7 por cento na base anual.
“Ainda não dá para dizer que começamos uma trajetória positiva de recuperação industrial. Até porque as demais comparações são negativas”, afirmou o responsável pela pesquisa do IBGE, André Macedo, acrescentando que o setor está no patamar equivalente a janeiro de 2009.
Em abril, apenas a categoria de bens de consumo registrou queda, de 0,4 por cento, na comparação com março. As categorias de bens de capital, um indicador do investimento, e intermediários registraram avanço de 1,5 por cento e 2,1 por cento, respectivamente.
Na análise por ramos, dos 24 pesquisados pelo IBGE, 13 tiveram avanço em abril. As principais influências positivas foram de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (alta de 19,8 por cento) e veículos automotores (avanço de 3,4 por cento).
“Os ramos que mais cresceram agora tiveram queda forte no mês de março. É uma espécie de compensação”, disse Macedo.
Na leitura anterior, por exemplo, produtos farmoquímicos e farmacêuticos recuaram 23,4 por cento e veículos automotores perderam 6,9 por cento.
Na véspera, foi divulgado que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 1 por cento no primeiro trimestre deste ano sobre os três meses anteriores, resultado com forte expansão do setor agropecuário, mas os investimentos continuaram em queda. Neste período, a indústria teve expansão de 0,9 por cento

 

Apesar do resultado positivo, especialistas já se adiantam ao afirmar que a atividade deve voltar a perder força daqui para frente diante, entre outros, do desemprego ainda elevado e a crise política que atinge o governo do presidente Michel Temer.
Reuters

0

Tinta a Óleo
Fôsco ou brilhante, lavável, de excelente acabamento, muito durável e serve tanto para o interior quanto exterior.
Devido à sua base com óleos, esta tinta ajuda a impermeabilizar.
É muito usada em madeira, ferro, paredes etc.

Tinta Esmalte

20140625-escultura-romero-brito

Escultura Romero brito em alumínio. Pintura esmalte.
A esmalte comum ou sintética é usada quando se quer um acabamento de grande qualidade.
As tintas esmalte diluem-se e limpam-se com aguarrás.
Não são fáceis de utilizar, têm um cheiro de forte e secam lentamente

Hoje em dia já se fabricam tintas esmalte à base de água.
Resistem melhor à luz,ás intempéries e á chuva.
São especialmente indicadas para madeiras, metais e azulejos.

Epoxy

20140625-garagem-tinta-epoxi
Super resistente à chuva, sol e não se deixa atacar facilmente por produtos químicos.
Requer conhecimento profissional para sua aplicação.
A tinta epoxi é muito usada para acabamentos em pisos, como alguns pisos de garagem por exemplo, ou pisos de estabelecimentos comerciais com muito transito.
Muito usada ainda em banheiros e azulejos.

 

Verniz

 
É um protetor fosco ou com brilho, transparente de várias tonalidades muito usado em madeira…

Acrílica

20140625-pintura-acrilica-paredes
Tinta de alto padrão pelo acabamento.
Muito usada em paredes, tanto de interior quanto de exterior.
As tintas acrílicas diluem-se e limpam-se com água.
Têm como vantagem não ter odor, secar rapidamente, não amarelam com o tempo e são de fácil utilização.
Paredes pintadas com tintas acrílicas são facilmente laváveis.

 

Latex ou Pva

paint_cans
Tinta à base de água indicada essencialmente para interiores.
É uma opção mais econômica.
Indicado para reboco, fibrocimento, gesso e sobre superfícies com massa corrida.

0

Com o novo lote, 7,6 milhões de pessoas estarão aptas a sacar quase R$ 11 bilhões e terão parte do fim de semana para comparecer à Caixa Econômica Federal, que funcionará em regime de plantão

Tabela-dos-saques-ainda-não-foi-divulgada-mas-Caixa-informa-como-será-o-procedimento

Começa na nesta sexta-feira (12) o pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para trabalhadores nascidos nos meses de junho, julho e agosto. Com o novo lote, 7,6 milhões de pessoas estarão aptas a sacar quase R$ 11 bilhões e terão parte do fim de semana para comparecer à Caixa Econômica Federal, que funcionará em regime de plantão.
Os R$ 10,8 bilhões disponíveis no terceiro lote equivalem a 25% dos recursos disponíveis para pagamentos de todos os lotes. Além de atendimento exclusivo para as contas inativas neste sábado (13), as unidades da Caixa vão abrir mais cedo na sexta, na próxima segunda (15) e terça-feira (16).

Para as agências que já abrem rotineiramente às 9h, o atendimento será das 8h até uma hora a mais do que o normal. As demais cidades vão contar com bancos abertos duas horas mais cedo nesses três dias. No sábado, 2.100 agências do banco funcionarão em regime de plantão, das 9h às 15h, para saques, solução de dúvidas e demais providências, como emissão da senha do Cartão do Cidadão.

Nem todo mundo, porém, é obrigado a comparecer a uma agência da Caixa para receber os recursos. Pouco mais de 3 milhões de pessoas terão os valores depositados automaticamente em suas contas da Caixa. Os trabalhadores que têm o Cartão do Cidadão e até R$ 3 mil a receber poderão ter acesso aos valores também por meio de lotéricas, caixas eletrônicos e correspondentes bancários.

Para o trabalhador que for resgatar contas com saldos superiores a R$ 3 mil, é recomendado que compareça ao banco portando documento de identificação, Carteira de Trabalho ou alguma comprovação de rescisão do contrato. Para os valores acima de R$ 10 mil, é obrigatória a apresentação desses documentos.

Quem pode sacar

Pode fazer o saque quem teve contratos de trabalho encerrados até 31 de dezembro de 2015. O pagamento das 49,6 milhões de contas inativas tem seguido um calendário específico, que leva em conta o mês de aniversário do trabalhador. No mês que vem, poderão fazer o saque os nascidos em setembro, outubro e novembro. O mesmo ocorrerá a partir de julho, quando poderá sacar quem nasceu em dezembro.
Independentemente das próximas datas e dos lotes anteriores, a data limite para saque de todos os trabalhadores é 31 de julho, de acordo com a Caixa.

Direito ao saque

O trabalhador que ainda não sabe se tem dinheiro a receber pode acessar o site sobre as contas inativas. Lá, ele pode verificar o valor a receber, a data do saque e os canais disponíveis para pagamento.

Agência Brasil

0

exemplo2_7b16d

Os aditivos plastificantes são compostos orgânicos que, quando aplicados ao concreto ou argamassas, revestem os grãos de cimento e provocam, por meio de cargas elétricas, repulsão entre esses grãos. Essa repulsão promove um melhor “escorregamento” entre os grãos, ou seja, permite obter uma mesma fluidez com menor quantidade de água.

 

A água é um elemento indispensável às reações químicas necessárias ao endurecimento do concreto. Entretanto a quantidade de água suficiente para permitir essas reações é bem menor que a necessária para conferir ao concreto uma plasticidade adequada à sua utilização, resultando num excesso de água que sobra dentro da sua massa.

 

Depois que se evapora toda essa água excedente, não utilizada nas reações, o espaço que estava sendo ocupado por ela, dentro da massa do concreto, transforma-se em bolhas e canalículos minúsculos.

 

A redução da água de amassamento proporcionada com a utilização de aditivos plastificantes traz um grande benefício ao concreto, pois ela é a responsável por sua maior porosidade e conseqüentemente menor resistência.       Muito utilizados atualmente, principalmente na composição de concreto estrutural, os aditivos plastificantes já são considerado por muitos autores como um de seus ingredientes básicos além do cimento, dos agregados e da água.

 

Esses aditivos são indicados em todas as situações em que se deseje obter um concreto de melhor qualidade, maior durabilidade, e onde atmosferas agressivas, tais como a presença de cloretos, exijam um concreto de menor porosidade, que venha a proteger de forma mais eficiente as armaduras. Por isso são muito utilizados também nos serviços de recuperação e reforço estrutural sobretudo por conferir maior plasticidade, resistência e impermeabilidade aos grautes e micro concretos.

 

Dentre os benefícios proporcionados pelos aditivos plastificantes podemos destacar: – Poder atingir valores de abatimento elevados para os traços usuais, com isso auxiliar a concretagem de peças com grande concentração de ferros ou outras situações em que seja necessário um concreto mais fluido sem que seja prejudicada a sua resistência. – Obter um concreto de melhor qualidade se comparado a um concreto de mesma plasticidade sem aditivo. A redução da quantidade de água (redução do fator água/cimento) acarreta várias vantagens como maior resistência mecânica, menor permeabilidade, menor retração e maior expectativa de durabilidade. – Reduzir o consumo de cimento e conseqüentemente o custo do concreto.

 

Poder utilizar um traço de concreto mais fraco para uma mesma resistência mecânica. – Permitir uma estrutura mais leve, com peças mais esbeltas, pela elevação da resistência do concreto, e também com isso uma diminuição das fundações. – Obtenção de estruturas de concreto com pouca ou nenhuma falha de concretagem, as chamadas “bicheiras”, devido à plasticidade obtida, sendo muito utilizado nas estruturas em concreto aparente.
Como fator negativo podemos citar o retardamento da pega do concreto, que normalmente ocorre com a utilização de aditivos plastificantes.       É recomendável também uma avaliação custo x desempenho e um rigoroso acompanhamento da dosagem no canteiro de obras, sem o qual a utilização do aditivo não deve ser indicada.       Além dos aditivos plastificantes existem ainda os aditivos superplastificantes, utilizados com a mesma finalidade, e que apresentam efeitos bem mais pronunciados que os primeiros.

 

 

Fonte: Eng. Luiz Carlos Thiers Silva

0

revestimento

Chapisco
O chapisco é a primeira camada de argamassa aplicada no revestimento, e fica diretamente em contato com os tijolos. A finalidade de sua aplicação é justamente deixar a superfície de contato da parede mais áspera, e, por causa justamente de sua textura porosa, segurará com maior facilidade a segunda camada, que é o emboço. O chapisco também para outras finalidades, como o acabamento. São 4 as classificações mais conhecidas, veja abaixo:
– Chapisco Convencional – Esse tipo é o aplicado normalmente para o revestimento, que tem a função de aumentar o atrito. Ele é resistente e firme, sendo produzido com areia e cimento numa proporção 3×1, ou seja, 3 partes de areia para apenas uma de cimento, o que o deixa realmente bem áspero. A água é adicionada aos poucos para dar ponto e, depois de aplicado, precisa de um tempo de cura aproximado de 24 horas, e só depois que outra será sobreposta. A quantidade a ser produzida é de acordo com o tamanho da parede, já que é necessário que tenha uma espessura média de 3 a 5mm. Para aplicação, basta utilizar uma colher de pedreiro e espalhar sobre a superfície.
– Chapisco Industrializado – Para superfícies de contato mais lisas, o chapisco comum não serve, portanto deve ser utilizado um industrializados, com aditivos que prendam-no em ambos os lados. A aplicação dele é simples, só lançar o produto e depois aplicar com uma espátula dentada, que fará as diversas ranhuras necessárias.
– Chapisco Rolado –Esse tipo é também industrializado, com alguns aditivos para melhorar a aderência dele. É aplicado com um rolo de textura e é usado por vezes em áreas, sejam internas ou externas, para texturar, já com uma coloração misturada antes da aplicação.
– Chapisco com Pedra Britada – Esse tipo é para utilização em decoração externa, apenas. Com brita adicionada aos outros elementos de composição, a argamassa fica mais densa e também não precisa de outra camada sobreposta. Apenas ela e já está pronto o muro, por exemplo. O tamanho da pedra britada fica à escolha do dono da obra. Pode-se também adicionar cal a ela.

 

Emboço

Essa nova camada será sobreposta sobre o chapisco, e é composto basicamente de areia, cimento, água e cal. Sua função principal é fazer o nivelamento do chapisco, deixando a superfície mais lisa para receber, enfim, o reboco. Quando uniforme, apresenta uma função também de vedação, dificultando a chegada de água e de agentes agressivos à lajota, o que, se feito erroneamente, causa muita umidade.
Ele é feito com proporções diferentes de cimento e areia, com uma parte de cimento, para duas de areia e seis ou oito de cal, que pode também ser substituído por saibro (1:2:6 ou 1:2:8). É mais uniforme e também mais grosso (é chamado, inclusive, de reboco grosso). É a base para um bom acabamento, portanto deve ser feito com cautela. O acabamento nunca é perfeito, por isso o emboço deve ser feito buscando corrigir todas as falhas de planificação. Vale ressaltar que ele também deve ser áspero para receber bem o reboco, que só poderá ser aplicado após 7 dias completos de cura.

 

Sua espessura também é controlada, sendo de, no máximo, 2,5 cm em partes internas e 3 cm em partes externas.
Lembrando também que nem sempre será desse jeito. Há o emboço paulista, que é uma camada única posta após o chapisco, que já serve tanto como emboço quando o reboco. Industrializado e com elementos e fases próprias para aplicação.

 

Reboco
Como já falado, o reboco é a última camada de argamassa do processo de acabamento da obra. É a camada mais fina, leve, que tem a função básica de dar um melhor visual à superfície da parede para então receber a tinta. Varia em torno dos 5 mm. É dispensável se utilizado um processo industrializado de nivelamento, que é o papel do emboço.
Alguns procedimentos especiais, com argamassas diferentes, nem sempre podem ser aplicados por qualquer pessoa, e devem procurar um especializado, normalmente o próprio fornecedor. Há pedras calcárias, barra lustre, mármore, fulget e vários outros que tem especificações próprias de aplicação.
O material básico envolve cimento, para uma parte, cal hidratada, com duas partes, e areia fina, com seis (1:2). Ele também tem uma função de impermeabilização e é o que caracteriza o ambiente, por ser a última parte. Ele deve ser feito com muita cautela e, quando necessário, corrigir as imperfeições deixadas pelo emboço. Será feito por último mesmo, depois até de janelas instaladas em seus devidos lugares

0

IMG_6165

Marcos Antônio Filho chega da capital Cuiabana repleto de bom gosto e muito charme com seus projetos, a iniciar pelo consultório do Doutor Rafael Cavallini, trazendo em seu espaço o conforto no atendimento de seus clientes, confira um pouco da inspiração do arquiteto que está repleto de criatividade e sofisticação em seus projetos de interior.

”Essa foi uma reforma estilo de programa de TV. Tínhamos o sábado, que a clinica não funcionava, para alterar o tamanho da mesa de trabalho, instalar spots de iluminação e colocar todos os detalhes decorativos” revela MA.

IMG_6288
”O objetivo era dar uma cara nova ao espaço, que é uma sala de fisioterapia. Todos os elementos foram pensados para serem aliados ao tratamento.
Cada detalhe faz toda a diferença, desde uma iluminação indireta até um aromatizador de ambiente”, conta Marcos Antônio.

IMG_6289

Para entrar em contato com Marcos Antônio basta ligar no (66) 9 -99622-5663, ou então em suas redes sociais.

0

O que está por trás do crer piamente em alguma coisa ou situação? Será que inveja pega? Mal olhado? Para quem conspira a sorte? E será que ela existe de fato? E os milagres existem aos olhos de quem? Enfim são inúmeras perguntas que nos cercam dia a dia, o fato é que a ‘’Crença’’ consiste em acreditar fortemente em algo, e isso pode se estender em vários âmbitos tais como a religião, doutrinas, estudos, culturas, uma série de áreas as quais nosso consciente faz questão de absorver em si essa verdade e viver em torno dela.

Claro que existe os dois lados de crer em algo, o bom e o ruim, o lado bom que a crença pode curar muitas pessoas que estão as vezes debilitadas, enfermas, ou então acreditar que podem vencer suas dificuldades e limitações, neste caso a crença aliado a fé religiosa salva muitas vidas e transforma por isso que sempre médicos, psicólogos em geral incentivam a cultivar alguma religião para se aproximar de Deus ou em algum ser superior que lhe dê forças, e isso traz um conforto a alma de muitos que se angustiam.

Crer nestes casos podem fazer com que você tenha uma nova forma de viver com mais tranquilidade e segurança, porém já as crenças doutrinárias nos casos de extremidades na prática da fé podem deixar as pessoas piores de corpo e alma, e vemos casos de práticas extremistas da fé a qual muitos matam ou morrem por crer exageradamente que fazem aquilo em nome de Deus, este é um ônus da crença religiosa.

Outro exemplo, a qual muitos ficam perturbados por crer piamente é na questão de inveja ou mal olhado, coisas do tipo, e acabam acreditando de tal forma que começam a se sentir doentes por acharem que os outros jogaram ‘’pragas’’ na outra, claro que esses sentimentos e desejos ruins existem porem se você ‘’Crer’’ nisso , seu psicológico e espiritual irá absorver de uma maneira a realmente estragar sua vida, precisamos confiar mais em nós e trabalhar para nada e nem ninguém atrapalhar por não possuir o que nós conquistamos com tanto suor.

Outro fator que ajuda muito nas crenças boas ou ruins é o próprio boca a boca, onde as pessoas acabam espalhando mentiras ou mitos de situações que não são verdades, imagina só o mal que não fazemos a crianças ao alimentar nelas a crença de que se elas não se comportarem o ‘’Bicho Papão’’ irá pega-las ou então que o ‘’Papai-Noel’’ não os trará presentes senão comportarem, isso são alguns pequenos exemplos de fortes crenças que podem no futuro gerar grandes transtornos na cabeça de nossas crianças.

Fato que tudo em nossas vidas deve ser dosado e ponderado, senão podemos correr o risco de ser escravos de nossas verdades e fechar nossos corações para aquilo que é realmente precisa ser incorporado e que devemos confiar e crer. No próximo editorial comentarei um pouco mais sobre a sorte, milagre, e outros assuntos relacionados ao poder da Crença.

 

José Olavo Pio: É Engenheiro Civil, Professor Universitário, Empresário e Servidor Público.

0

008Mais um projeto inovador do jovem arquiteto Ayres Machado Filho, onde trás uma mistura de cores e elegância com a sensação de bem estar e vibração. Confira a fala de Ayres sobre este luxuoso projeto.

Os clientes procuravam um apartamento com grandes janelas, pé-direito alto, ambientes amplos e num bairro com todos os serviços do dia-a-dia próximos. Por isso optaram por um apartamento antigo, próximo a um shopping, supermercado, escola, farmácia, conta Ayres.

009

010

012

Segundo o arquiteto, o imóvel passou por uma reforma geral, ficaram somente as paredes. Os demais itens foram todos substituídos, como os revestimentos de piso e parede, portas, bancadas, louças, metais, luminárias, toda a parte elétrica, parte da hidráulica, etc. A sacada foi integrada a sala de estar, dando lugar a mesa de jantar, tornando a área social da unidade mais ampla.

014

 

Ambientes onde a sobriedade e as cores conversam. Uma das poucas exigências dos proprietários foi utilizar obras de arte que, com cores vivas, garantem grande parte da vida desse projeto. A utilização da madeira e da iluminação quente trouxe todo o aconchego. Das cores, o azul está presente em todos os ambientes, revela Ayres.

017

Além disso ele conta que muitos aspectos positivos são atribuídos ao azul. Ele simboliza a paz, a realização espiritual, tranquilidade, amizade, confiança, fidelidade e integridade. É também a cor de todas as virtudes intelectuais: sabedoria, inteligência, ciência, controle, concentração, independência. Tem o poder de acalmar e relaxar as pessoas. É relacionado a purificação, expulsa energias negativas, além de favorecer a amabilidade, a paciência e a serenidade. Estimula a busca da verdade interior, bondade, ordem, disciplina. (MORÉ, 2016).

031

026

De acordo com o arquiteto um assunto muito importante, porém pouco falado, é a obrigatoriedade de um profissional qualificado, como o Arquiteto, para a realização de qualquer tipo de reforma. Desde o porte da reforma desse apartamento quanto uma simples mudança. Isso garante a realização de uma obra segura e que não coloque em risco a edificação como um todo. Além dessa segurança, a contratação do profissional proporciona inúmeras vantagens, como a economia no valor total da obra.

021

Para realizar seu orçamento basta ligar para no (66) 9-9608-3454, ou então em suas redes sociais digitando Ayres Machado Filho.

 

0

imagem%20destaque(1)

Para alertar a população, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT) esclarece que todos os profissionais e empresas que atuam nas diversas áreas ligadas ao Sistema Confea, necessitam ser registradas no Conselho, sendo que, as empresas devem possuir um responsável técnico para cada área abrangida pelas modalidades da engenharia. As pessoas jurídicas e físicas que não atendam a estas exigências, devem ser denunciadas ao Crea-MT.

 

 

As maiores denúncias registradas na Ouvidoria do Crea-MT são procedentes do exercício ilegal de profissionais, seguidas de empresas da área da construção, “além das empresas, todas as obras e serviços da área tecnológica necessitam de um profissional legalmente habilitado para assumir a responsabilidade técnica. A falta deste, configura irregularidade a ser apurada pela fiscalização do Crea, “ explica Robinson Jesus da Costa, Ouvidor do Conselho.

 

 

Logo que a denúncia é feita, torna-se um processo que é encaminhado à Câmara de Ética do CREA-MT, espaço onde são analisadas as acusações. “A Câmara de Ética faz um estudo sobre o que foi denunciado, quem foi o denunciante, qual o problema, endereço, analisa provas circunstanciais ou elementos comprobatórios do fato denunciado.  Feita esta análise e comprovada ou não a falta de ética profissional, a denúncia será enviada para sua determinada câmara de especialização, de acordo com a modalidade da engenharia em questão e, seus representantes definirão o que será feito em relação ao profissional ou empresa”, detalha o Coordenador da Câmara de Ética do Crea-MT, Durval Bertoldo da Silva.

 

 

De acordo com Durval estas denúncias são de extrema importância, pois possibilitam a proteção à sociedade, tanto ao garantir um mercado de trabalho aos bons profissionais, como ao assegurar ao cidadão que os serviços, por ele contratados, possuem um responsável técnico habilitado. “Caso as denúncias sejam realmente comprovadas o profissional pode até perder seu registro no Crea”, alerta o coordenador.

 

 

Para fazer a denúncia, basta entrar no site do Crea-MT, na aba Ouvidoria e preencher o formulário. “É importante lembrar que as denúncias que serão fiscalizadas pelo Crea-MT são as oriundas do exercício profissional previstas na Lei Federal N° 5.194, de 24 de dezembro de 1966, que normatiza a profissão dos engenheiros, agrônomos e demais atividades ligadas ao Sistema.

 

 

 

De acordo com a lei, para realizar qualquer serviço destas respectivas áreas, o profissional precisa ser registrado no Conselho, afim de assegurar o bom serviço e a qualidade do trabalho executado”, lembra o Ouvidor.

 

Fonte:Igor Bastos

0

É determinação da vigência da Lei 10.534, de autoria do deputado Guilherme Maluf (PSDB), que corrige monetariamente os valores das modalidades licitatórias em Mato Grosso, com base no Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M/FGV).

8015ff461f3347d7d3b4165f8c674bb0

A partir deste mês de abril, os valores estabelecidos para licitação visando a execução de obras e serviços de engenharia, em Mato Grosso, passam a ser de até R$ 644.612,49 na modalidade convite; de até R$ 6.446.124,90 na modalidade tomada de preços e acima de R$ 6.446.124,90 na modalidade concorrência.

É determinação da  vigência da Lei 10.534, de autoria do deputado Guilherme Maluf (PSDB), que corrige monetariamente os valores das modalidades licitatórias em Mato Grosso, com base no Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M/FGV).  O parlamentar tucano não aceitou que seu nome desse denominação à nova lei.
Para demais compras e serviços, os valores passam a ser de até R$ 343.793,33 na modalidade convite; de até R$ 2.793.320,79 na modalidade tomada de preços e acima de R$ 2.793.320,79 na modalidade concorrência.
A correção dos valores para licitações vai desburocratizar os processos de aquisição de materiais e execução de obras e serviços realizados em Mato Grosso, além de fortalecer a economia local.
 

Com a Lei, os limites dos percentuais referentes à dispensa de licitação passam a ser de 10% dos valores corrigidos. O aumento do teto beneficia diretamente microempresas e empresas de pequeno porte sediadas em Mato Grosso, uma vez que estas têm preferência na dispensa de licitação, conforme Art. 5º da Lei Estadual nº 10.442/2016.

“Os valores referentes às licitações não sofreram alterações desde 1998 e precisavam ser corrigidos. Com isso, vamos valorizar e fortalecer as empresas regionais e, consequentemente, a nossa economia. Em um momento difícil como esse pelo qual passamos, precisamos justamente de medidas como essa, que têm reflexos diretos na geração de empregos”, observou.
A Lei ainda concede autonomia aos municípios mato-grossenses para editar leis com correções mais recentes e determina que os valores sejam atualizados pelo Governo do Estado anualmente, no mês de janeiro, com base no IGP-M acumulado do exercício anterior.
O disposto nesta Lei não se aplica aos recursos oriundos de convênios com a União.

Pareceres favoráveis à Lei
Recentemente, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso rejeitou 14 Ações Diretas de Inconstitucionalidade propostas pela Procuradoria Geral de Justiça contra leis municipais que versam sobre o mesmo assunto.

0

Entre as exigências do texto, estão a criação de projetos para este fim por arquitetos e engenheiros e a inclusão do tema nas universidades

i541494

 

No fim de março, foi sancionada com veto pelo presidente da República, Michel Temer, a Lei 13.425/2017, sobre novas normas de segurança, prevenção e proteção contra incêndios em estabelecimentos de reunião pública. A legislação entra em vigor em setembro deste ano.

 

O Projeto de Lei foi apresentado em 2007 pela deputada Elcione Barbalho, mas ganhou destaque após tragédia de 27 de janeiro de 2013 na boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, onde um incêndio na casa noturna provocou a morte de 242 pessoas além de 680 feridos.

 

Agora a nova legislação exige de arquitetos e urbanistas e engenheiros projetos de prevenção de incêndios que tenham passado por supervisão do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea). O texto prevê também a inclusão de conteúdos relativos à prevenção e ao combate a incêndios na grade curricular de cursos de graduação relacionados a área de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia e cursos técnicos na área.

 

Haverá uma exigência mais rígidas de proprietários de estabelecimentos, autoridades públicas e profissionais para aplicação de medidas preventivas e assim aumentar a segurança dos estabelecimentos.

 

Entre os vetos feitos pelo presidente da República, dois se destacaram. O primeiro foi sobre uma mudança na lei de edificações que proibiria a existência de mais de uma direção no fluxo de saída das pessoas dos estabelecimentos. De acordo com a justificativa do veto, uma eventual adaptação de espaços físicos geraria custos desnecessários, principalmente para micro e pequenas empresas, sem aumentar a segurança de forma relevante.
Já o segundo veto diz respeito ao trecho que obriga o cumprimento de normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) ou outra entidade credenciada pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro) por parte de arquitetos e urbanistas, engenheiros, bombeiros militares, prefeituras e donos de estabelecimentos. Para Michel Temer, “ao subordinar a atuação do Poder Público e sua competência legislativa a regulamentos ou normas técnicas expedidas por entidades privadas, os dispositivos ferem o princípio da legalidade e podem atingir a supremacia do interesse público, bem como incrementar o risco de conflito de interesses”.

0

yugO talentoso projetista Wanderson Morais trás mais uma arrojada inovação em projeto de interiores e arquitetônico, dessa vez a residência de 208 metros quadrados chama atenção pelo jogo de madeira implementado e luzes quentes pra deixar a residência ainda mais aconchegante, confira melhor a inspiração de WM.

Na descrição do desenhista Wanderson Morais, simplicidade é o que define o projeto dessa linda casa, com linhas retas e a utilização de alguns elementos naturais como as madeiras de demolição presentes na porta e nos pergolados.
Para agregar ainda mais na estética da fachada optei em revestir uma grande parede com o revestimento Origami da Castelatto, dando destaque nas peças com uma iluminação mais quente.

04.17

Já no seu interior decidir utilizar cores mais escuras optando pelo cinza no revestimento Scaleno e pelo marrom nas paredes, e colocando cores apenas nos moveis como o azul no sofá curvo e as poltronas com estofados vermelhos, revela WM.

13456

Totalmente integrado com a sala de estar esta localizado essa maravilhosa cozinha, com destaque para essa ilha revestida em MDF que se repete na parede ao fundo e para o azulejo hexagonal presente entre os armários.

HFD

Nesta segunda sala de home cinema, optei por não colocar marcenaria diretamente e sim fazer um grande painel em mármore marrom imperial, e revestindo as outras paredes com MDF dando assim um aconchego maior a esse ambiente, diz WM.

ljh

Todo o cômodo dessa linda casa foram projetados para ter o máximo de automação seja nas cortinas e iluminação presentes na mesma.

ready,set, run!

Para mais projetos e contato acesse:

http://studiowmprojetos.blogspot.com.br/2017/03/apartamento-maxhaus-mod-74-m.html

ou Ligue: (66) 9-9714-2368 ∕ 9-9913-9189.

0

untitled

Um dos serviços que prestamos e que trazem retorno rápido e dão maior segurança a nossos clientes é a avaliação dos contratos da empresa a fim de identificar e remediar pontos falhos, assim como gerar um acervo de lições aprendidas que permitam aprimorar o processo de contratação.

 

A vida da construtora — e, portanto, a do engenheiro — depende muito da qualidade dos contratos que são celebrados pela empresa. Mais do que um documento jurídico que estabelece direitos e deveres, um contrato é um acordo de vontades, ou seja, é o elemento que define regras de relacionamento entre as partes envolvidas.

 

Se os contratos estão por toda parte, assim também os problemas que advêm deles. Lamentavelmente, constatamos que muitas empresas perdem dinheiro pelo fato de fazerem contratos deficientes, que carecem das necessárias cautelas, que são omissos quanto a pontos importantes e que contêm muitas vezes cláusulas contraditórias (talvez derivado daquilo que eu chamo de “síndrome do Ctrl-C Ctrl-V”), gerando vulnerabilidade à construtora.

 

Contratar não é só assinar um contrato. Aliás, o contrato é apenas a parte palpável e a ponta do iceberg. A preocupação deve surgir ainda na fase pré-contratual, quando é feita a seleção dos fornecedores, a estipulação das condições de garantia, seguro e penalidades, e são definidos critérios de avaliação para manter ou não o fornecedor elegível para contratação em outras obras da empresa.

 

Contratos na construção
Na construção civil, os contratos estão por toda parte e assumem diferentes formas, pois podem ser de fornecimento, locação ou empreitada. A figura abaixo ilustra alguns tipos de contrato que ocorrem numa obra típica (sob a visão do construtor). Em seguida abordaremos os problemas dos tipos principais.

 

Contrato de construção
Trata-se do contrato principal, firmado entre a construtora e a empresa contratante, que pode ser um cliente privado ou um órgão público. No caso de uma obra privada, a contratação envolve negociações, concessões recíprocas, ajustes de valor etc.

 

Aqui, uma assessoria contratual pode garantir uma simetria entre direitos e deveres ao melhorar a redações de cláusulas, partilhar riscos de forma mais equilibrada entre as partes e assegurar que as penalidades não são extorsivas e desproporcionais.

 

Já no caso de uma obra pública, o contrato é mais inflexível, pois o contratante tem que obedecer às regras da Lei 8.666/93 (Lei das Licitações).

 

Contrato de empreitada
Trata-se do contrato pelo qual a construtora contrata outra empresa para fazer porções da obra, constituindo aquilo que se chama de terceirização ou outsourcing. Num ambiente de crescente especialização dos serviços, a subcontratação é cada vez mais comum. Em alguns casos a construtora principal chega a ter um papel mais de integradora (gerenciadora) do que propriamente de executora.

 

Antes da celebração do contrato, é necessário identificar uma questão importante sobre o escopo dos serviços: se será empreitada unicamente de mão de obra ou se também abrangerá o fornecimento de materiais. Tais condições definirão cláusulas específicas do contrato.

 

Antes de contratar, a empresa deverá verificar os dados formais de regularidade fiscal e trabalhista do empreiteiro. Esse cuidado permite confirmar as condições de trabalho e de organização do empreiteiro. É com base nele que a empresa contratante obterá os dados suficientes para identificar eventuais riscos ou, mesmo, reprovar a contratação do empreiteiro.

 

Como dica, segue um exemplo de checagem de documentação a ser feita junto ao empreiteiro:

 

O contrato poderá conter cláusula específica em que se prevê que a construtora retenha um percentual das parcelas devidas ao longo da execução dos serviços (retenção técnica), cuja função é garantir eventuais despesas extraordinárias, não previstas inicialmente, que podem vir a existir, tais como pagamento de verbas trabalhistas não quitadas, indenizações, honorários de terceiros, contratações de outros prestadores de serviços para a realização de serviços contratados e não executados ou executados com deficiência, multas aplicadas e outras despesas que podem surgir em virtude de atos praticados pelo empreiteiro. Como reter e como liberar o dinheiro retido são pontos que devem estar bem claros.

 

Contrato de fornecimento
Como o nome já diz, é firmado entre a construtora e empresas que fornecem bens e serviços. Um aspecto que pode ser avaliado é se é mais conveniente fazer um contrato de fornecimento continuado em lugar de pedidos individuais. Um exemplo é negociar antecipadamente a compra de todo o concreto da obra, com estimativa de volume por mês).

 

Problemas comuns são falta de índices de reajuste de preços — é melhor prever no contrato do que deixar para negociar após 12 meses —, falta de penalidades por atraso, critérios de aceitação pouco claros e omissões quanto a quem cabe a descarga na obra, por exemplo.

 

Contrato de trabalho
Os vínculos laborais, isto é, entre empregador e empregado representam uma fonte de despesas de difícil previsão. Rescisões, acordos e custas judiciais podem representar somas altíssimas.

 

A assessoria técnica pode agregar no treinamento de funcionários e preposto a fim de esclarecer a melhor forma de atuação, na avaliação de terceirizados, na adequação da comunicação entre a obra e o setor jurídico da empresa (ou escritório externo) e no mapeamento geral dos riscos trabalhistas.

Fonte: Editora Pini

0

Mais um projeto moderno assinado pelo jovem arquiteto Ayres Machado, trazendo o bom gosto em mais uma de suas criações para um apartamento em Cuiabá. Confira a descrição da criação do renomado arquiteto.

01

Localizado numa área bastante valorizada da capital matogrossensse, com um ampla oferta de serviços de alto padrão. O proprietário solteiro jovem não se absteve em adquirir esse apartamento de 90m² na região. Para personificar seu novo imóvel, contou com o arquiteto Ayres Machado Filho, que logo captou sua primordialidade por uma atmosfera masculina e por ambientes descontraídos e confortáveis para receber amigos.

02

 

Além do mobiliário, os revestimentos se destacam nos ambientes e são elementos importantes para trazer personalidade à decoração. No estar, por exemplo, a parede de aço corten faz uma harmoniosa contraposição com o piso, com o tapete e com o sofá.

03

 

Um dos desafios foi garantir amplitude aos ambientes já que a planta de três dormitórios tem uma metragem reduzida. A solução encontrada por Ayres foi apostar em recursos que adicionassem elegância e criassem a ilusão de que os ambientes fossem maiores. Uma dessas estratégias foi inserir um amplo espelho estrategicamente posicionado para transmitir a sensação de que a sala é mais profunda.

04

 

Na suíte predomina uma atmosfera elegante e clean, com uma pegada masculina reforçada pela paleta de tons que versam entre o cinza e o azul.

05

 

O home theater conta com uma tela da artista plástica Capucine Picicaroli, reconhecida internacionalmente, e para harmonizar com a obra o arquiteto escolheu peças teatrais, como o tapete, o sofá de veludo cyan e um aparador vermelho.

06

 

O gabinete com uma base de estilo clássico, reforça o ecletismo com peças como a modernista Lounge Chair Ottoman do casal designer Eames, o tapete contemporâneo da Punto e Filo e a cadeira Herman Miller.

 

O apartamento também conta com automação nas cortinas, na climatização, na iluminação e na sonorização. Obtendo vários cenários para qualquer tipo de ocasião.

O contato do arquiteto é pelo cel. (66) 99608-3454