Confusão entre boletins de ocorrência gera notícia falsa sobre entidade filantrópica
Supermoveis


Macropel

Confusão entre boletins de ocorrência gera notícia falsa sobre entidade filantrópica

Fonte: da redação
SHARE
Entidade de Rondonópolis foi alvo de notícia falsa nesta quarta-feira (15). Foto: Divina Providência no Facebook.

Uma notícia falsa que circulou nesta noite de quarta-feira (15) chocou membros da comunidade terapêutica Divina Providência, em Rondonópolis (214 km de Cuiabá).

A publicação foi compartilhada na rede social do veículo Rondonópolis Urgente e, logo em seguida, foi desmentida pelas autoridades policiais e recebeu críticas dos leitores.

Informação falsa foi divulgada nesta noite de quarta-feira (15). Foto: Reprodução/Facebook.

A realidade dos fatos é que houve a interdição de outra entidade que também auxilia na recuperação de dependentes químicos, mas em Pedra Preta (245 km de Cuiabá). O nome da entidade envolvida no boletim de ocorrência de número 2017.376583 é a Comunidade Terapêutica Saúde e Vida. Veja a íntegra do boletim correto aqui: B.O.

Mas a causa de toda a confusão foi a duplicidade de informações. Um boletim que circulou de maneira extraoficial, supostamente redigido pelo 1º Pelotão da Polícia Militar de Pedra Preta, informa erroneamente o nome da entidade Divina Providência, que não possui nenhuma relação com os fatos narrados.

Informação incorreta foi supostamente colocada em boletim da PM. Foto: Reprodução.

“A comunidade fica em Rondonópolis, e não em uma chácara de um tal Jorge como mencionada pela publicação. Você percebe que tem erro e não tem fundamento isso, fomos pegos completamente desprevenidos e nos deparamos com essa informação, que não tem nada a ver com a nossa condição, com o trabalho sério que realizamos; tem que apurar os fatos antes de fazer qualquer menção ao nome da entidade”, comentou Marco Túlio, presidente da entidade e membro do conselho da Associação Divina Providência.

Segundo informações policiais repassadas ao site Notícias de Mato Grosso, erros podem estar presentes em boletins ainda não finalizados. “Na minha opinião, o veículo de imprensa tem que buscar a fonte com a autoridade competente, não sair por aí publicando qualquer coisa”, comenta o tenente Bispo, da PM de Pedra Preta. Veja o boletim divulgado oficialmente sobre o caso:

As informações corretas estão neste boletim da PJC. Foto: Reprodução.
Montreal