Concurso sobre a cultura negra é realizado em Escola Municipal
Adventista

Fullbanner1


Concurso sobre a cultura negra é realizado em Escola Municipal

Fonte: Assessoria
SHARE

A ideia do projeto é reduzir o preconceito e levar a valorização da igualdade no ambiente escolar

A consciência negra foi antecipada e colocada em evidência de forma diferenciada na Escola Municipal Mauro Weis, localizada no Bairro Castelândia. Na manhã desta sexta-feira (9) ocorreu o Concurso Garota e Garoto Pérola Negra, onde os alunos demonstraram, em desfile, as belezas da cultura afrodescendente.

A quadra poliesportiva da unidade foi tomada por decoração que remete aos costumes africanos. Os enfeites foram confeccionados pelos próprios estudantes, em sala de aula.

O projeto é uma iniciativa da professora Eliane Alves Nunes. Há 10 anos ela atua como educadora em Primavera do Leste e atualmente leciona na Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, onde o projeto começou, e Escola Estadual Cremilda de Oliveira Viana.

Na Mauro Weis a professora participou como jurada. Ela comenta que após a implantação do projeto na escola Nossa Senhora Aparecida, percebeu que os alunos melhoraram a autoestima. “Eles começaram a se valorizar e ter um olhar mais humanitário para os diferentes tipos de pessoas”, comenta.

A expectativa dela em levar o projeto para outras escolas é melhorar os alunos como pessoa, para que eles enxerguem que todos têm capacidade para lutar e conseguir o que quiser, independentemente da cor, raça ou religião.

Uma das alunas que desfilou na passarela do Pérola Negra foi a Lina Silva Macedo, de 13 anos. Ela comenta que o projeto ajudou os alunos a pararem de julgar uns aos outros pela aparência, principalmente os negros. “É bem difícil quando nos enxergam apenas como mais um negro no mundo. Todos somos iguais”, conta. A estudante conta que, embora nunca tenha sofrido preconceito por ser negra, já passou por situações de bullying por ser muito magra, e entende que esse tipo de trabalho deve ser valorizado.

Representando a Câmara de Vereadores, assistiu ao desfile a vereadora Edna Manich, que parabenizou a escola pela iniciativa. “Esse trabalho é necessário nas escolas porque temos uma população negra linda e que precisa se assumir como é. Temos que ter o conhecimento do que é a cultura afro, da escravidão que veio para o Brasil, que foi apagada da mente das pessoas”.

A vereadora ainda mencionou que ter a data do dia 20 de novembro para comemorar a Consciência Negra traz a oportunidade de os alunos estudarem mais sobre o assunto, “e a gente está vendo a belezura que é essas crianças se assumindo como negras, como bonitas e como pessoas importantes para a sociedade”.