Conclusão da obra da Arena Pantanal vai ser decidida na Justiça
Fullbanner1

Fullbanner2


Conclusão da obra da Arena Pantanal vai ser decidida na Justiça

Fonte:
SHARE
Foto: Internet

A exemplo da obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá-Várzea Grande, a conclusão da Arena Pantanal também será decidida pela Justiça.

Relatório divulgado pelo Gabinete de Assuntos Estratégicos do Governo do Estado, na segunda-feira (15), revela que não houve acordo entre a Secretaria de Cidades e o consórcio construtor, liderado pela empreiteira Mendes Júnior. O Governo vai, então, acioná-lo na Justiça.

Segundo o Gabinete, sem a conclusão da obra, não há como definir modelo de exploração econômica da arena.

Em princípio, o estádio deve ser concedido à iniciativa privada, mas uma consultoria especializada será contratada para fazer um estudo da viabilidade econômico-financeira do espaço e definir, a partir desse estudo, o melhor modelo de concessão.

Sem a conclusão da obra, porém, não há o que fazer. No final do ano passado, o Governo chegou a divulgar que pretendia concluir a arena ainda neste primeiro semestre, como uma forma de conseguir a certificação internacional de sustentabilidade “Leed” (Leadership in Energy and Environmental Design) e evitar o pagamento de R$ 600 milhões de juros adicionais no financiamento para a construção do estádio.

Com a judicialização da obra, a conclusão fica novamente sem prazo e o valor total, hoje em R$ 600 milhões, pode dobrar sem a certificação Leed – indo, portanto, a R$ 1,2 bilhão.

Várias empresas são responsáveis por concluir a obra da Arena Pantanal, que, mesmo inacabada, recebeu quatro jogos da Copa do Mundo de 2014.

Dentre os 12 estádios utilizados na competição, porém, o de Cuiabá foi o único que não recebeu nota máxima, em uma avaliação feita recentemente pelo Ministério do Esporte.

O Governo reclama da falta de acabamento em todos os setores da arena, principalmente nos banheiros, nos forros e pisos, além da inadequação dos elevadores e da acessibilidade em geral.

Segundo o Estado, o contrato para fornecimento de equipamentos de tecnologia de informação também não foi cumprido na íntegra.

Além da Mendes Júnior, são responsáveis pela conclusão da Arena Pantanal as empresas Concremat Engenharia (do Consórcio GLE) e a Kango Brasil.

Outro lado

Procurada, a empresa Mendes Junior informou, por meio de nota, que “os serviços físicos da Arena foram concluídos a tempo”.

A nota diz também que o estádio, inclusive, recebeu jogos da Copa do Mundo da Fifa.

“Informa ainda que busca amigavelmente, junto ao Governo do Estado de Mato Grosso, a entrega definitiva do empreendimento”, completa a nota.

Fonte: MídiaNews

Montreal