Com seis denúncias, prefeita de Juara é cassada pela Câmara
Adventista



Com seis denúncias, prefeita de Juara é cassada pela Câmara

Fonte: Da Redação NMT com FolhaMax
SHARE
Luciene Bezerra é acusada de fraudes em licitações - Foto: CircuitoMT

Com 36 horas de duração, a sessão extraordinária da Câmara de Juara determinou a cassação do mandato da prefeita Luciane Bezerra (PSB). A sessão encerrou na madrugada deste sábado (7). Ela é acusada de diversas irregularidades em diversos processos licitatórios e desvio de dinheiro.Ao todo, foram seis denúncias apresentadas por 50 cidadãos e instituições de Juara.

Em todas as denúncias, a ex-prefeita Luciane Bezerra teve os seis votos necessários para sua cassação. Após a apresentação do relatório, na ação derradeira do legislativo, o documento foi lido e aprovado pelos vereadores. Logo após, foi votada a aprovação do Decreto legislativo nº 265, que dispõe sobre a cassação do mandato de Luciane Bezerra, onde a chefe do Executivo foi devidamente deposta.

Logo em seguida, o vice-prefeito Carlos Sirena foi acionado para tomar posse. Ele comandará a cidade até dezembro de 2020. Carlos Sirena fez o juramento de praxe, depois usou a palavra por alguns minutos pregando a união por Juara.

Denúncias e vídeo de Silval 

Luciane Bezerra é investigada por improbidade administrativa por firmar contratos de publicidade sem licitação. Ela ainda responde por outras irregularidades cometidas a frente da prefeitura. Em fevereiro deste ano, ela foi afastada pela Justiça por conta da suspeita de fraude em licitação para reforma de uma escola municipal no Distrito de Paranorte.

Além das denúncias de gestão, outro escândalo vivido por ela está relacionado a delação premiada do ex-governador Silval Barbosa. Ela, ainda enquanto deputada estadual, aparece num vídeo recebendo maços de dinheiro de Sílvio Correa, ex-chefe de gabinete de Silval. O dinheiro seria referente a propina paga pelo ex-governador a deputados estaduais para não criarem obstáculos nas obras do MT Integrado.

Luciane nega que os recursos sejam de propina. Segundo ela, o ex-governador tinha uma dívida com seu marido, o deputado estadual Oscar Bezerra (PV). O parlamentar também foi citado pelo ex-governador em sua delação, por, supostamente, ter cobrado propina para não envolver Silval na CPI das Obras da Copa realizada pela Assembleia.