Com reservas e pouca técnica, JEC e Cruzeiro empatam pela Primeira Liga
Fullbanner1



Com reservas e pouca técnica, JEC e Cruzeiro empatam pela Primeira Liga

Fonte: GloboEsporte.com
SHARE

Com times alternativos, pouco entrosamento e sem nenhum gol, Joinville e Cruzeiro empataram na noite desta terça-feira: 0 a 0. Pela última rodada do Grupo C da Copa da Primeira Liga, muita disposição, mas pouca qualidade e técnica em partida que envolvia o já classificado time mineiro e um Tricolor com pouquíssimas chances de avançar. Mesmo com jogadores bem mais experientes, como Dedé e Lucas Silva, a Raposa pecou na pontaria e foi ineficaz diante de um JEC composto em sua grande maioria por jogadores do sub-20 e estreantes no time profissional  Garantido na primeira colocação do Grupo C com 7 pontos, o Cruzeiro aguarda sorteio entre os segundos melhores colocados para conhecer o rival nas quartas de final. Depois de uma pausa considerável, a Raposa volta a jogar na Primeira Liga apenas em agosto, no dia 30, em jogo único. O Joinville dá adeus à competição sem vitórias – dois empates e dois pontos conquistados. Pelo estadual, o Joinville volta a jogar quinta-feira, às 18h (de Brasília), com o Criciúma, em Joinville. Próximo compromisso do Cruzeiro é segunda, às 20h, diante do Uberlândia, no Parque do Sabiá.+++ Confira tabela, classificação e artilharia da Primeira Liga

A escolha por times alternativos foi refletida desde os primeiros minutos. Apesar do Cruzeiro ter uma time bem mais experiente, com jogadores conceituados como Dedé, Lucas Silva, Élber e Mayke, a falta de entrosamento prejudicou o desempenho, mesmo com vantagem técnica evidente do time mineiro. O Joinville, com 80% do time composto por estreantes no time profissional, acabou aderindo a um perfil mais defensivo. A consequência natural foi a imposição do ritmo do duelo, ditado principalmente por Rafinha, Raniel e Lucas Silva, dominando as ações ofensivas do Cruzeiro, principalmente em cruzamentos e finalizações de longa distância, mas praticamente sem chances claras. Salvo uma exceção: aos 45 minutos, Raniel driblou o goleiro, mas pecou na hora de colocar a bola para dentro. Acabou deixando na trave a melhor chance de abrir o placar na etapa inicial. A segunda etapa começou com a evolução do Cruzeiro, aumentando o domínio do jogo. Mais posse de bola e finalizações, mas ainda sem encaixar o último passe. Até os 25 minutos, as duas jogadas mais agudas foram em cruzamentos, um deles mal aproveitado de cabeça por Murilo Cerqueira. Após as três substituições, o time de azul então chegou para valer, mas Elber e Fabrício, duas vezes cada um, desperdiçaram chances incríveis de marcar – Alex, praticamente no último lance, também isolou sua melhor oportunidade. Pelo lado tricolor, Janderson foi o jogador que mais chegou perto de comemorar, mas acertou a rede pelo lado de fora.