Com rejeição maior que de Lula, Bolsonaro tem segundo turno inviável
Supermoveis



Com rejeição maior que de Lula, Bolsonaro tem segundo turno inviável

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto: FABIO MOTTA/ESTADÃO

A pesquisa do último dia 22, divulgada pelo DataFolha, expõe uma realidade já muito defendida por muitos analistas políticos: o candidato a chefia da República, Jair Bolsonaro (PSL), perderia para praticamente todos candidatos a Presidência da República mais viáveis, até o momento, em um eventual segundo turno. Isto porque, a rejeição de Bolsonaro alcançou a casa dos 39%, deixando até mesmo o ex-presidente Lula (PT), que sempre liderou também neste quesito, para trás com 34%. Com Marina Silva (REDE), a derrota do social-liberal no chamado “um a um” seria de 45 a 34% dos votos válidos. Já com Geraldo Akcmin (PSDB), Jair perderia por 38 a 33%, enquanto Ciro o bateria 38 a 35%. O quadro mais favorável a Bolsonaro seria apenas com Fernando Haddad (PT), possível candidato apoiado por Lula, que apesar de estar na cadeia ainda conta com prestígio popular. Haddad sequer se anunciou candidato oficialmente e não participou de nenhum dos debates presidenciais até o momento. O alcance do petista que fez uma gestão má avaliada na maior cidade do país ainda é uma incógnita, sobretudo pela dificuldade de se prever com exatidão a migração dos votos lulistas a si.