Com produtividade média de 50 sacas, MT colhe primeiros 25 mil hectares...
Supermoveis

Fullbanner2


Com produtividade média de 50 sacas, MT colhe primeiros 25 mil hectares de soja

Os produtores relatam que haverá perda equivalente a mais de dez navios carregados de soja por falta de chuva, mas também informam que houve mais replantio do que o normal.

Fonte:
SHARE
Expectativa é de que ano não será dos melhores para os produtores. Foto - Marcos Zica

A colheita da soja em Mato Grosso começa com produtividade de 50,6 sacas por hectare, aponta relatório divulgado nos últimos dias pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). Foram colhidos 25 mil hectares nos últimos dias (0,3%) e as atividades tendem a continuar em ritmo lento.

As 50,6 sacas por hectare estão bem perto da média projetada pelo Imea para esta safra, que é de 50,8 sc/ha. O órgão, ligado à Federação da Agricultura de Mato Grosso (Famato) rebaixou previsão de colheita de 29 milhões para 28 milhões de toneladas no ano passado. Nos últimos dois anos, a produtividade ficou em 51,9 sc/ha.

Os produtores relatam que haverá perda equivalente a mais de dez navios carregados de soja por falta de chuva, mas também informam que houve mais replantio do que o normal. A produtividade das lavouras replantadas e das semeadas tardiamente ainda é uma incógnita, diante do retorno das chuvas. Em Sorriso, maior produtor de soja do país, o presidente do Sindicato Rural, Laércio Lenz, defende que seja decretado estado de emergência, prevendo forte impacto financeiro na economia local.

O atraso nas lavouras é relativo. Nesta época do ano passado, a colheita estava em 1,9%. Agora, representa apenas 0,3% da área plantada, e restringe-se à metade Sul e ao Oeste do estado. Dependendo da região, a diferença vai bem além de um ponto porcentual. Produtores e técnicos do Nordeste de Mato Grosso, por exemplo, falam em até um mês de atraso devido ao plantio tardio.

Neste mês, a meteorologia registra chuvas diárias para regiões agrícolas como as de Sapezal, Sorriso, Canarana e Rondonópolis, tranquilizando os agricultores que enfrentaram seca nos últimos meses.

Fonte: Cenário MT

Montreal