Com apoio de Botelho, parceria será firmada para recuperação de ponte em...
Supermoveis


Macropel

Com apoio de Botelho, parceria será firmada para recuperação de ponte em Chapada

Fonte: Assessoria
SHARE
A proposta foi selada durante reunião, nesta quarta-feira (22). Foto: Assessoria.

Um convênio será firmado para a recuperação da ponte de madeira sobre o Rio Manso, que interliga Chapada dos Guimarães e Nova Brasilândia. A proposta foi selada durante reunião, nesta quarta-feira (22.11), entre o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), o secretário de Infraestrutura (Sinfra), Marcelo Duarte e uma comitiva de Chapada dos Guimarães, liderada pelo vice-prefeito Osmar Froner, o assessor especial da Companhia Mato-grossense de Mineração, Metamat, Luiz Leite, o produtor rural, Anderson Murtinho e representantes da Sinfra.

De acordo com o secretário Duarte, a reunião foi positiva por discutir prioridades à região. “O deputado pediu a intervenção da secretaria [Sinfra] e firmamos uma parceria com os municípios, em que o estado entrará com uma parte dos recursos e os municípios com outra, afinal de contas, eles têm recursos do Fethab que foram destinados por lei e estão sendo repassados religiosamente, e vai somar para que possa resolver o problema antes que as chuvas apertem”, afirmou o secretário.

Froner explicou que a situação é preocupante, pois a ponte tem 112 metros de extensão, está localizada num ponto estratégico entre Chapada e Nova Brasilândia, na MT-241, e atende a grande região Vale do Rio Manso. “Recorremos ao deputado Botelho, através da sua intervenção junto à Sinfra, buscando uma saída para recuperação dessa ponte. Objetivo é voltar o tráfego normal na região, que tem grande fluxo de escoamento da produção, de transporte escolar, de transporte de bens e serviços. Felizmente tivemos uma reunião positiva com o apoio do presidente Botelho e governo do estado”, disse o vice-prefeito.

A ponte de madeira foi construída em 1990 e funciona de forma precária. “Essa ponte é sobre um rio imenso, tem 27 anos de uso e isso nos preocupa porque há riscos de acidentes. Por isso, estamos fazendo essa intervenção, junto com Nova Brasilândia, no sentido de firmar a parceria e dar solução a essa obra”, finalizou Froner.

Montreal