CASA OU APARTAMENTOS COMPACTOS ?, por Vagner dos Santos da Silva
Supermoveis

Fullbanner2


CASA OU APARTAMENTOS COMPACTOS ?, por Vagner dos Santos da Silva

Fonte:
SHARE

O acadêmico de Arquitetura Vagner dos Santos, trás uma analise da viabilidade de uma das tendências de mercado que são as edificações de pequeno porte, confira o que o resultado da pesquisa do universitário.

 

Apartamentos pequenos, verdadeiramente pequenos, exigem mais do que criatividade para fazer uma disposição de móveis que deixe a vida confortável.
As necessidades desses tipos de apartamentos são para se adequar ao mercado, foram lançados para atender um tipo de cliente, solteiros ou casal com a vida corrida.

Esses apartamentos são compostos de mobília planejada ou mobília minimalista e funções para atender os espaços do local, para se tornar o cotidiano simples e prático para seu morador.
Esses tipos de mercado ainda são mais encontrados com mais frequência nas grandes metrópoles, onde o dia a dia são mais agitados.

 

Ainda assim são procurados para atender as necessidades de quem os procuram, busca simplicidade, praticidades, conforto e beleza, decorados com o gosto de cada morador.
Em 2014 até o mês de julho foram vendidas 298 unidades com pequenas metragens na grande São Paulo, esse tipo de unidade era quase inexistente até 2011, nos últimos 3 anos foram fora aproximadamente 1691 unidade, de acordo com as pesquisas da empresa de monitoramento imobiliário Geoimóvel.
É uma resposta do mercado imobiliário à alta dos preços, por causa da metragem, o preço final fica menor para o comprador, assim o negócio é vantajoso para as construtoras, que cobram mais por metro quadrado construído.

 

Algumas plantas se inspiram nos exemplos estrangeiros. Mas é preciso fazer adaptações ao mercado brasileiro. Nos supercompactos paulistanos, as janelas se abrem e há até espaço para varanda. No exterior, grande parte dos prédios tem janelas vedadas.
As necessidades variam de cada local, influenciado pelo clima, topográfica e desejo do cliente, mas a maior procura são conforto.

 

Com a nova configuração dos espaços, a decoração é um desafio.
A cozinha, aberta, não pode ter muito cara de cozinha. A dica é escolher eletrodomésticos com design trabalhado, que façam parte da decoração. O mobiliário precisa ter várias funções, a mesa de refeições, por exemplo, pode ser a de trabalho. “O apartamento tem que ser uma coisa de dia e outra à noite.
Não é impossível montar o espaço com móveis não planejados. Basta serem compactos. O apartamento de 30 m², com diversos quadros na parede e cheio de itens pessoais, mostra que não é só o minimalismo que funciona. A dica é manter tudo em menor escala.

 

 

Espelhos são indicação de todos os decoradores. O ideal é ter um só, grande. Se forem mais, é preciso cuidado para um não refletir o outro.
Os apartamentos mínis exigem não só reflexão sobre a decoração, mas também adaptar seu estilo de vida. O morador precisa ser organizado, assim pode ter armários abertos ou com portas transparentes, que ampliam o espaço.

 

 

A vantagem para quem mora nas grandes metrópoles de obter esse tipo de apartamentos é buscar mais próximo ao trabalho, para economizar com condução e tempo.
Esse tipo de mercado aos poucos está conquistando espaços nas pequenas cidades como forma de moradia barata, forma mais simples para quem quer conquistar a moradia própria e sair do aluguel.

 

O mercado da Arquitetura aos poucos vai ganhando espaços em todos os lugares, cliente em potencial estão desde as pequenas obras até as grandes obras, as exigências estão cada vez mais críticas em busca de um sonho e de um lar confortável, de um canto onde pode se chamar de lar.

 

Montreal