Campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite visa imunizar mais de 16...
Adventista



Campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite visa imunizar mais de 16 mil crianças em Várzea Grande

Fonte: Da redação
SHARE
200 mil doses de vacinas contra sarampo e poliomielite foram aplicadas no primeiro dia da campanha nacional de vacinação no Paraná.Curitiba, 08/11/2-14.Foto: Venilton Küchler/SESA

Será realizada entre os dias 06 e 24 de agosto, no município de Várzea Grande a Campanha Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde contra o sarampo e poliomielite. O Dia D da Campanha Nacional está marcado para o Dia 18  de Agosto. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande (SMS), todas as 19 unidades estarão dando cobertura à campanha de vacinação. Aqui no município não existem casos registrados dessas doenças e a campanha tem como objetivo principal continuar mantendo o público alvo fora de risco. Crianças de 1 até menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), independentemente da situação vacinal, fazem parte do público alvo da campanha, que prossegue até dia 31 de agosto.

Além das crianças, a vacina de sarampo estará disponível para pessoas com idade de 30 até 49 anos. Este público terá acesso à imunização durante a semana, nas atividades de rotina dos postos. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de que os município alcance 95% do público-alvo, equivalente a pouco mais de  16 mil crianças.

O superintendente de Vigilância em Saúde de Várzea Grande, Alisson Gomes, reformou a importância da vacinação por se tratar de doenças sérias. “Nesta campanha os pais e responsáveis são atores sociais importante no processo de manutenção da eliminação dessas doenças e devem comparecer aos serviços de vacinação com suas as crianças, levando a caderneta de vacinação para avaliação e registro, independente da sua situação vacinal”, frisa.

A responsável técnica pelo setor de Imunização de Várzea Grande, Paloma Campos, lembra sobre  importância da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) que deve ser aplicada em 2 doses para o público entre 12 meses e 29 anos, além de profissionais de saúde de qualquer idade.

“Ressaltando que a campanha nacional é apenas para crianças entre 1 e menores de 5 anos. Os demais só devem tomar a vacina contra o sarampo na rotina, caso não tenham completado o esquema ou não lembrem se fizeram a vacina”, explica Paloma.

Poliomielite e sarampo

Conhecida popularmente como ‘paralisa infantil’, a poliomielite causa paralisia que começa de forma repentina e pode afetar desde as pernas até o corpo inteiro, comprometendo até a respiração. A contaminação da doença ocorre por contato fecal-oral, por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral através de gotículas de secreções ao falar, tossir ou espirrar.

Segundo o Ministério da Saúde, o sarampo é uma doença extremamente contagiosa e pode ser transmitida pelo contato com secreções. Os primeiros sintomas são parecidos com os da gripe, mas evoluem para o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo. As mortes relacionadas com a doença ocorrem, muitas vezes, por causa de complicações no quadro.