Câmara oferece curso sobre o eSocial para servidores da Casa
Adventista



Câmara oferece curso sobre o eSocial para servidores da Casa

Fonte: Assessoria.
SHARE
Foto: Assessoria.

A Câmara de Rondonópolis, por meio da Escola do Legislativo, está oferecendo aos servidores da Casa de Leis um curso sobre o eSocial. Apesar de muita gente confundir o eSocial com um novo regime tributário, a realidade é que trata-se apenas de uma unificação das informações trabalhistas, ou seja, trabalhadores celetistas, estatutários, autônomos, avulsos, cooperados, estagiários e sem vínculo empregatício terão suas informações registradas no programa.

A iniciativa do curso foi do vereador e presidente da Câmara, Rodrigo da Zaeli, que no início de sua gestão regulamentou a Escola do Legislativo, setor responsável pela realização de ações voltadas à educação para a cidadania, difusão cultural, capacitação de agentes políticos e lideranças comunitárias, capacitação e atualização do corpo técnico, servidores e vereadores.

Neste período de atuação, a Escola do Legislativo já ofereceu três cursos: Oratória, Libras e eSocial. Ao todo, mais de 100 pessoas já foram atendidas com os projetos executados pela Escola do Legislativo, por meio da realização de cursos. Neste contexto, está previsto para serem implementados, em uma parceria escola e Federação Nacional dos Servidores dos Legislativos e dos Tribunais de Contas Municipais (Fenalegis), nove cursos para trabalhadores efetivos e comissionados do Poder Legislativo. Além destes, a Escola do Legislativo está trabalhando na execução dos cursos de Técnica Legislativa e Redação Oficial.

“A ideia é proporcionar capacitação para os servidores da Casa de Leis e outros órgãos públicos, a fim de um melhor atendimento para a população. Como exemplo, quero usar o curso de Libras, onde está sendo oferecido, para cinquenta servidores de diferentes setores, aulas de Língua Brasileira de Sinais. Garantir a inclusão social é medida que se aplica para uma sociedade mais justa. Há tempos tinha este projeto e, finalmente, conseguimos tirá-lo do papel. Os deficientes auditivos têm muita dificuldade em serem atendidos nas repartições públicas e facilitar esse atendimento é o nosso papel”, concluiu o Presidente Rodrigo da Zaeli.