Bom de sinuca
Fullbanner1


Macropel

Bom de sinuca

Fonte:
SHARE

No final do milênio passado eu era alcoólatra bem conhecido. Gostava muito de ir a um boteco tomar umas geladas com o famoso fotógrafo Matusalém Teixeira, e vê-lo jogar sinuca com os amigos. Era um bar na Dom Pedro II, entre a Lions Internacional e a MT 270. Acho que era do pai do Lincoln, cinegrafista da TV Rondon. Eu só ficava na torcida, às vezes quando não havia parceiro eu jogava com o Matusa, mas só perdia, só cumpria tabela.
Num belo dia ele me deixou ganhar a primeira partida para dar negra. Era o que eu queria. Joguei o taco no pano verde da mesa e falei:
– Agora posso falar que ganhei de você.
E, claro, nunca mais joguei sinuca com ele, e já faz uns 20 anos.
18.5.17.

Montreal