Bancada avança em concessões e aeroportos de MT devem receber quase R$...
Fullbanner1



Bancada avança em concessões e aeroportos de MT devem receber quase R$ 800 mi

Fonte: Da Redação NMT
SHARE

Os senadores de Mato Grosso, José Medeiros (Pode) e Wellington Fagundes (PR), ao lado dos deputados federais, Adílton Sachetti (PRB) e Victório Galli (PSL), reuniram-se na manhã desta quarta-feira (13) com o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, também parlamentar de Mato Grosso,  para tratar das privatizações dos aeroportos de Cuiabá, Barra do Garças, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta. O leilão de concessões será feito até o final deste ano, com previsão de contratação prevista para o primeiro trimestre de 2019. O valor de investimento previsto no estado para adequações dos cinco espaços aeroportuários é de R$ 791 milhões, para todo o bloco.

“Estamos todos aqui unidos pelo estado de Mato Grosso. Queremos agilidade nas concessões desses aeroportos, que são pontos importantes de entrada e saída para o interior brasileiro. Queremos que o Mato Grosso, grande produtor mundial de grãos, esteja conectado com o restante do país e com o mundo. Com essas concessões, vamos fortalecer a economia mato-grossense, gerando emprego e renda para nossa gente”, destacou Medeiros, que é líder da bancada federal.  Durante a audiência, que aconteceu no Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, houve esclarecimentos feitos pela diretora de Planejamento e Gestão Aeroportuária, Fabiana Todesco, sobre novo modelo de concessões de terminais aeroportuários.

Os aeroportos mato-grossenses envolvidos no pacote investimentos e concessão são o Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, o Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco, em Rondonópolis, Presidente João Batista Figueiredo, em Sinop, Piloto Oswaldo Marques Dias, em Alta Floresta, e o Aeroporto de Barra do Garças. Os cincos fazem parte do chamado Bloco Centro-Oeste, onde a movimentação de passageiros ao ano é de 3,3 milhões de pessoas, segundos dados de 2017. “O estado que representamos será o único no país a ter um bloco de aeroportos, por conta da fabulosa produção agrícola e pecuária. Somos os principais produtores do Brasil. Além disso, possuímos um grande potencial turístico, com três ecossistemas: as maravilhas do Cerrado, a pujante Amazônia e o belíssimo Pantanal”, enfatizou Medeiros.

Atrito com governador

A bancada federal buscou aproximar a discussão com o governador Pedro Taques (PSDB) e os congressistas se prontificaram a ir até o estado para abrir o diálogo diretamente do Executivo Estadual e os prefeitos das cidades envolvidas. O encontro foi marcado para o início de junho, na sede do Governo de Mato Grosso, com a presença do secretário Nacional de Aviação Civil (SAC), Dário Lopes. Convites distribuídos apenas com o nome do deputado federal, Nilson Leitão (PSDB), provável candidato a senador na chapa do atual governador, causou desconforto no restante da bancada que decidiu não mais ir. O secretário, por sua vez, cancelou sua participação na reunião após saber do ocorrido e o governador manteve o encontro, de maneira esvaziada.

Mais voos

O deputado federal, Adílton Sachetti (PRB), considera que o ganho em infraestrutura que os aeroportos terão criará um ambiente para um novo momento que, em paralelo, pode até aquecer o mercado de oferta de voos no estado. “Óbvio que estamos falando de duas coisas diferentes. Uma coisa é o volume de demanda de passageiro que é o que norteia as ofertas das empresas aéreas, outra coisa é licitar um aeroporto para uma nova gestão. Mas uma coisa acaba amarrando na outra quando se projeta aeroportos mais modernizados, mais confortáveis e que naturalmente irão atrair mais o interesse do consumidor deste serviço As empresas aéreas que atuarem nestes locais certamente vão usar este momento de avanços para atrair mais clientes e naturalmente vamos interligar mais, sobretudo importantes regiões do interior do estado”, projetou.

Reuni�o bancada concess�es dos aeroportos