Autor de roubo de motocicleta é preso e alega que crime foi...
Adventista



Autor de roubo de motocicleta é preso e alega que crime foi cometido por “clone”

Fonte: Da Redação com PJC
SHARE
FOTO: Internet.

Um jovem identificado como autor do roubo da motocicleta de um entregador de lanches foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na sexta-feira (19.10), após ser identificado nas investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos (DERRFVA).

Gustavo Hugo de Carvalho Silva Moraes, 24, conhecido como “Gustavinho” negou a participação no assalto e disse que o crime foi praticado por um “clone” dele. O acusado foi autuado em flagrante por crime de associação criminosa armada sendo representada pela conversão da prisão em flagrante em preventiva.

O suspeito teve o envolvimento reconhecido no roubo, ocorrido no dia 05 de outubro, em frente a um condomínio, no bairro Aroeira, em Cuiabá. Na ocasião, a vítima (que trabalha como entregador de uma lanchonete) aguardava para fazer uma entrega, quando foi surpreendida por três homens, um deles em posse de arma de fogo.

Os criminosos subtraíram a motocicleta que a vítima estava, além do seu aparelho celular, o troco e a bolsa com o lanche. Assim que foi acionada, a equipe da DERRFVA iniciou as investigações e através, das imagens captadas pelas câmeras de segurança do condomínio, conseguiu identificar Gustavo como um dos autores do roubo.

Com base nas suspeitas, os policiais mostraram a foto de Gustavo para vítima, que o reconheceu como um dos autores do roubo. Em continuidade as diligências, os policiais seguiram até a residência do acusado, no bairro Aroeira, onde ele foi encontrado com o mesmo boné que usava no dia do roubo. Na casa, os policiais também apreenderam uma calça com as mesmas características da que ele usava no dia do assalto.

Ele foi conduzido a DERRFVA, sendo novamente reconhecido pela vítima como um dos autores do crime. Interrogado pelo delegado Caio Fernando Alvares de Albuquerque, o suspeito negou a participação no roubo, e quando apresentadas as imagens da sua atuação, ele alegou que era um “clone” dele. Até mesmo a mãe do acusado, ao ver as imagens se surpreendeu, questionando quando tinha ocorrido.

“Havia indícios suficientes que apontavam que Gustavo, junto a seus comparsas, agiram afinados, solicitando a entrega do lanche para atrair a vítima, para cena do roubo, caracterizando claramente o crime de associação criminosa armada”, explicou o delegado.

Diante das evidências, o delegado autuou o suspeito em flagrante pelo crime de associação criminosa armada (crime de natureza permanente) e representou pela conversão da prisão em flagrante em preventiva, que foi prontamente atendida na audiência de custódia.


Boné utilizado pelo suspeito no dia do roubo e no momento em que foi preso.
Foto: PJC.