Audiências começam nesta terça-feira
VendaMais

Audiências começam nesta terça-feira

SHARE
Foto:Assessoria.

A Justiça de Mato Grosso começa nesta semana a ouvir testemunhas e acusados do esquema de propina envolvendo a antiga administração estadual e empresários descobertos com o avanço das investigações da Operação Sodoma. A partir desta terça-feira (9), a juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda, inicia a audiência de instrução e julgamento do processo, que conta com 17 réus, entre eles o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o ex-prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB) e o ex-deputado estadual José Geraldo Riva.

Nos primeiros dias, serão ouvidas as chamadas testemunhas do juízo, no total de 12. Em meio a estas oitivas estão as dos empresários João Batista Rosa, Frederico Muller Coutinho, Filinto Muller, Willians Paulo Mischur e Julio Minori Tsujii. Exceção feita a Frederico e Filinto, que descontaram cheques da suposta organização criminosa, os demais firmaram acordo de colaboração e confessaram o pagamento de propina ao grupo político chefiado por Silval para a obtenção de benefícios fiscais, caso de Rosa, e da manutenção de contratos do Estado. Apenas Mischur, dono da Consginum, empresa que gerencia a margem consignável dos servidores, revelou ter entregue aproximadamente R$ 17 milhões.

Passada esta fase, cujo encerramento está previsto para o próximo dia 16, deverão ser ouvidas as 32 testemunhas dos acusados em oitivas que se encerram no próximo dia 25. Também arrolados, os deputados estaduais Mauro Savi (PSB) e Romoaldo Junior (PMDB), bem como o secretário-Controlador Geral do Estado, Ciro Rodolpho Gonçalves, poderão escolher a data em que prestarão depoimento.

Já no dia 26 começam os interrogatórios dos réus. Além de Silval, Riva e Walace, respondem a esta ação os ex-secretários Pedro Nadaf, Marcel de Cursi, Cézar Zílio, Pedro Elias Domingos de Mello e José de Jesus Nunes Cordeiro, o procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o filho de Silval, Rodrigo Barbosa, Sílvio Cézar Corrêa Araújo, Evandro Gustavo Pontes da Silva, Antônio Roni de Liz, Tiago Vieira de Souza Dorileo, Bruno Sampaio Saldanha, Karla Cecília de Oliveira Cintra e Fábio Drumond Formiga. Todos foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) em abril deste ano, após a conclusão do inquérito da Polícia Civil.

Fonte:A Gazeta.

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO